OGIVA NUCLEAR

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

OPINIÃO PARA DOKA

Pergunto: será que não estamos a brincar com o fogo? O DSP lidera, desde que foi exonerado do cargo de Primeiro-ministro, a desobediência a autoridade estabelecida. E nós Todos, continuamos sentados encima do muro a observar a palhaçada. 

No país, DSP incita à violência e à insurreição contra o Presidente da República, através dos seus apoiantes e amigos instalados "ad aeternum" nas ditas organizações de sociedade civil. No exterior, persegue, calunia e tenta afrontar o chefe de Estado. O que também revela grave falta de sentido de Estado, por parte de DSP e seus seguidores.

"Galinha na sangra", DSP é tábua rasa em questões políticas, senão não aceitaria ser conduzido por anti-patriotas como Manecas dos Santos, Francisca Pereira, Carlos Correia, etc., gente que conduziu Nino Vieira para o abismo. Pela sua postura política, duvido, pois que DSP tenha alguma ambição política nesta nossa terra. A sua postura é de anarquia política, como quem diz: "ou eu ou o caos".  

Nós, o país, não pode permitir esse tipo de afronta política, contra aquele que é o símbolo da unidade nacional, Sua Excelência Senhor Presidente da República. A obsessão de DSP e seus seguidores é golpista. Em primeiro lugar, porque engendra pela destituição do Presidente da República. Em segundo lugar, é ani-democrática, visto que ignora a vontade popular que considera a destituição de governo um acto normal em qualquer país democrático do mundo. 

A obsessão do DSP pelo poder é desmedida. Na primeira vaga, após a sua destituição, quando o chefe de Estado notificou o PAIGC para enviar proposta para a nomeação de Primeiro-ministro, DSP, egoísta, desperdiçou a oportunidade. Fé-lo à revelia do Bureau Político do seu próprio partido. Falou mais alto o instinto ditatorial, seu. Nesta segunda vaga, depois do famigerado  Acórdão do STJ, em vez de reunir estatutariamente o Bureau Político, o dito-cujo escolheu viajar pela sub-região, "na konta-konta na kasa dia", conduzido por Huco Monteiro, Veríssimo Nancassa, entre outros barões da droga? 

Espero que o mundo acompanhe, de perto, o desfecho da canalhice da rapaziada, que, neste preciso momento, está a empatar por completo o nosso país, para depois poder ajuizar de forma racional os acontecimentos.

BISSAU KILA MUDA 

Sem comentários:

Enviar um comentário