OGIVA NUCLEAR

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Os guineenses foram e estão amordaçados .  Os governantes; os dirigentes e políticos guineenses caíram no ridículo e toda a sua Credibilidade foi posta em causa .

Os a miséria e a pobreza ao lado da fome falam mais alto .

domingo, 30 de dezembro de 2018

Doka Internacional alerta as autoridades guineenses sobre negócios sujos e perigosos com alguns chineses .

Os chineses abusam em coisas que estão prejudicando ao nosso estado. 

As INSTITUI COES competentes que tomem cuidado e investiguem ao fundo os negócios chineses .   Tudo o que dizem que FAZEM, pura fachada. 


quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

O MINISTERIO PUBLICO tem que agir imediatamente.
Passaportes diplomaticos guineense atribuido aos chineses???
10 passaportes e cada um num valor de 50 mil euros???
Afinal quem sao estes chineses?
Quais as ligacoes ?







Ligacoes e negocios perigosos com chineses .
Mais DESENVOVIMENTOS .
Preparem - se.






terça-feira, 25 de dezembro de 2018

O conhecido e famoso cantor guineense - Ze MANEL, com um novo album 

Conferencia de Imprensa as 11horas de manha na 
Direccao geral de cultura. 
Antiga prematura.
Dia 27 Quinta feira e venda do CD 
10.000 CFA

Esta QUARTA FEIRA 26 de Dezembro as 19:30, o grande mestre Kausso Balde vai oferecer um jantar a alguns musicos guineenses no establecimento comercial de DOKA INTERNACIONAL .

A noite de quarta feira promete aquecer e vibrar com as vozes consideradas as melhores de sempre .  Uma selecao de musicos escolhidos por Doka Internacional 

Doka Internacional agradece o gesto de respeito por parte do grande mestre Kausso Balde .

domingo, 23 de dezembro de 2018


O PARTIDO APU-PDGB LIDERADO POR NUNO GOMES NABIAM, DE UM MOMENTO PARA OUTRO TORNOU- SE NO PARTIDO MAIS SÉRIO E DETERMINANTE NESTE PERIODO CRUCIAL QUE A GUINÉ BISSAU ATRAVESSA.



ENQUANTO QUE O PRS E O MADEM G-15 VÃO DANDO TIROS NOS SEUS PRÓPRIOS PÉS, O APU-PDGB VAI GANHANDO PONTOS PORQUE A CADA INTERVENÇÃO DE NUNO GOMES NABIAM E DOS SEUS DIRIGENTES, É UMA BOMBA IMPARAVÉL.



UM PARTIDO DE CORAGEM E DE HOMENS CORAJOSOS QUE ESTÃO DECIDIDOS A DEFENDER OS INTERESSES DESTE POVO.



SABE-SE DE ANTE MÃO QUE A COLIGAÇÃO ESTA A VISTA:

PRS- MADEM G-15- APU-PDGB E UPG



ISTO PROMETE AQUECER

GUINÉ BISSAU ENTREGUE AO DIABO E A SUA LEGIÃO

INOCENTES QUE FORAM ASSASSINADOS E FAMILIAS SEM JUSTIÇA.



CRIMINOSOS IMPUNES E HOJE CRIARAM OS SEUS NEGOCIOS E CUIDAM DOS MESMOS.

MAIS UM GAFF, MAIS UMA PÍFIA, MAIS UM DESASTRE NA PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA.

REALMENTE JOMAV ESTA NO MEIO DE PESSOAS BURRAS E INCOMPETENTES, OU ELE MESMO PERMITE QUE SAIA SEMPRE QUEIMADO.



ONTEM SÁBADO 22 DE DEZEMBRO UM JANTAR FOI OFERECIDO NA PRESIDÊNCIA DA REPUBLICA..., ALGO QUE DEVERIA TER SIDO ORGANIZADO COM DECÊNCIA E COM CUIDADO, PASSOU A SER A VERGONHA NACIONAL.



HOJE NO MEU RESTAURANTE/BAR, MÚSICOS E EXECUTANTES QUE PARTICIPARAM NO DITO EVENTO RECLAMAVAM DA SITUAÇÃO POBRE E VERGONHOSA QUE LÁ PASSARAM VISTO QUE O MATERIAL DE SOM ESTAVA UMA PORCARIA- KADERA DE DARI..., SUMA KU ALY SILVA TA FALA.



RESPONSABILIDADES IMPUTADAS AO JOVEM QUE TRABALHA NA PRESIDÊNCIA E QUE SE CHAMA OU É MAIS CONHECIDO POR GEADO OU JADO.



ENFIM, QUANDO SE TOCA COM O PRESIDENTE DA REPUBLICA, AS COISAS TÊM QUE SER REVISTAS VEZES SEM CONTA.



INFORMARAM QUE DEVIDO A ISSO O PRESIDENTE JOMAV ABANDONOU DE IMEDIATO O EVENTO.



ENFIM..., KADERA DE DARI OU KADERA DE SANTCHU KU UNHI DJINTIS KUNDOK

2018 É O ANO PARA SE ESQUECER E REZAR A DEUS PARA QUE NÃO SE REPITA PORQUE CAMINHANDO NESTA DIREÇÃO, ESTAMOS INDO EM DIREÇÃO A PERDIÇÃO.

1.  MENTIRAS AO POVO

2.  ENGANOS AO POVO

3.  MALTRATO AO POVO

4.  ROUBOS AO POVO

5.  BURLAS AO POVO

6.  PRISÕES E DETENÇÕES ARBITRARIAS DE INOCENTES

7.  ESPANCAMENTOS, TORTURAS E ASSASSINATOS A INOCENTES,

8.  DEGRADAÇÃO NOS HOSPITAIS E ESCOLAS

9.  FOME NAS CASAS DO POVO

10.             FALTA DE AGUA POTÁVEL

11.             FALTA DE HIGIENE NAS RUAS DA GUINÉ BISSAU

12.             FALTA DE HIGIENE NAS PESSOAS

13.             DESORGANIZAÇÃO NAS NOSSAS VIAS PUBLICAS

14.             POLÍTICOS E GOVERNANTES INCOMPETENTES

15.             PEDOFILIA AO EXTREMO ACOBERTADO PELA NOSSA JUSTIÇA E PELOS NOSSOS DIRIGENTES

16.             PROSTITUIÇÃO DA NOSSA JUVENTUDE FEMININA.

JOMAV KU ARISTIDES GOMES REBENTA..., É NEGA DÁ UM UTRU MÓN NA AEOROPORTO.

ANTIGAMENTE DIZIA- SE:

“ ORA KU PRINDI DOKA INTERNACIONAL, GOVERNO TA CAI..., MÁ GOSSI KUMA SE JOMAV NEGA DAU MÓN, KIL GOVERNO TAN TA CONCONHI “

sábado, 22 de dezembro de 2018

A pior época e o pior momento da humanidade .
Quadra natalícia?
Jesus Cristo afinal foi negro ou branco? Os olhos eram realmente azuis? Os cabelos eram loiros ? O seu nascimento era ou foi motivo de alegria e felicidade? Porque razão das mortes de muitas crianças inocentes?

Qualquer das formas Doka Internacional deseja um bom Natal a todos .

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

VEM BOMBA DE CASCA GROSSA
QUERO O MEU DINHEIRO. QUERO A MINHA PARTE. 
HELDER VAZ QUE FAÇA A SUA PARTE E O AVISO SERVE A TODOS OS IMPLICADOS NA TRAIÇÃO CONTRA A MINHA PESSOA.

AVISAR AO HELDER VAZ DE QUE NÃO HOUVE RESPEITO E CONSIDERAÇÃO POR DOKA INTERNACIONAL.

NOME DE JOMAV ENVOLVIDO EM TODA ESTA SUJEIRA.
O PRAZO TERMINOU HOJE .

EU DOKA INTERNACIONAL GARANTO QUE IREI FALAR DE FACTOS CONCRETOS E REAIS PORQUE NINGUÉM VAI ME USAR E SAIR OU PENSAR SAIR IMPUNE.

QUERO O MEU DINHEIRO NA MINHA CONTA OU QUE ME FAÇAM A TRANSFERÊNCIA IMEDIATAMENTE.

NINGUÉM PODE BANALIZAR O ESTADO E USUFRUIR DO DINHEIRO DO POVO E GOZAR COM DOKA INTERNACIONAL E PENSAR QUE ME IRIA CALAR.

DÔA A QUEM DÔER.  VOU TRAZER MUITA MERDA A RIBALTA DE TODOS OS ENVOLVIDOS.

PONTO FINAL. QUEREM BRINCAR??? VAMOS BRINCAR!

1- QUEM FORAM AS PESSOAS QUE CONTACTARAM O MEU PESSOAL E COMO FOI QUE OS CONTACTARAM???

2- PORQUE RAZÃO NINGUÉM COMUNICOU OU DEU CONHECIMENTO AO DOKA INTERNACIONAL??? DE QUEM FOI A TRISTE IDEIA  OU DESTA DECISAO?

3- QUANTOS MIL EUROS ESTAMOS A FALAR???

4- DE ONDE SAIU O DINHEIRO DE PAGAMENTO E PARA ALEM DOS ELEMENTOS DA EQUIPA DE DOKA INTERNACIONAL, QUEM MAIS USUFRUIU DESTE DINHEIRO??'

5- DE QUEM É O DINHEIRO? DE ONDE SAIU O DINHEIRO?? COMO FOI FEITO OS PAGAMENTOS???

6- ESTE TRABALHO ERA OU FOI LEGAL??? COMO FOI QUE O ESTADO GUINEENSE SAIU NESTA HISTORIA?

7- PORQUÊ DO ENVOLVIMENTO DO NOME DE JOMAV? PORQUE RAZÃO O NOME DE JOMAV FOI MENCIONADO E QUEM O MENCIONOU???

8- AFINAL QUEM ENGANOU? QUEM MENTIU? QUEM SE APROVEITOU? E PORQUE RAZÃO TANTA PREOCUPAÇÃO EM TENTAR JUSTIFICAR AO DOKA INTERNACIONAL DE COISAS QUE EU MESMO SEI QUE É MENTIRA???

PREPAREM- SE. VEM BOMBA ESTA 2ª FEIRA. AO MEIO DIA.
SERÁ O MEU PRESENTE DE NATAL CASO EU NÃO RECEBA O QUE ME CORRESPONDE.

OBS: DOKA INTERNACIONAL PRECISA URGENTEMENTE DO CONTACTO DE DSP.
AQUI ESTA O MEU CONTACTO DE BISSAU:

DOKA INTERNACIONAL- 00245. 96 913 33 40
GUINÉ BISSAU SEM MINISTRO DO INTERIOR A JÁ ALGUMAS SEMANAS. O PAÍS ESTÁ VULNERAVÉL E DESPROTEGIDO EM TODAS AS FRENTES.

DOS NOMES EM CIMA DA MESA PARA ESTE LUGAR ESTÃO:
1. OTÁVIO ALVES- RESPEITOSO, CAPACITADO, VERDADEIRO, HONESTO E UM GRANDE HOMEM NA NOSSA SOCIEDADE.  SERIA UMA BOA APOSTA PORQUE NÃO TEM NENHUMA MANCHA POLÍTICA.

2. DJOE CABRAL- CONHECE BEM A CASA, SABE QUEM É QUEM E NÃO SE DEIXA MANIPULAR. CORAJOSO, DETERMINANTE E CAPAZ DE CONDUZIR ESSA CASA A FERRO E FOGO IMPONDO RESPEITO NA NOSSA SOCIEDADE QUE ESTA SENDO VANDALIZADA A CADA DIA QUE PASSA.

3. DJON MONTEIRO- JAMAIS....., UM PASSADO TRISTE EM TORTURAS E MORTES DE PRISIONEIROS.  SERIA UM DESASTRE PARA JOMAV CASO PERMITISSE A NOMEAÇÃO DESTE HOMEM.
A excelente reportagem de Carlos Narciso da SIC, sobre a guerra  na Guiné, hoje reeditada das redes sociais é um aviso opurtuno que me mereceu este meu comentário...
Eu não acredito que o 7 de junho de 1988 seja reptível, mas estamos assistir uma contínua e latente destruição do sentido do Estado e das instituicões públicas provocando o "lumpelismo" social, como de facto assistimos o domínio avassalador da "não inteligencia". 

Actualmente o "passaporte" político partidário na ocupação de altos cargos públicos vale mais que um diploma acadêmico ou o conhecimento técnico e científico.

A somar a politização radical dos órgãos da comunicação social nacional  e internacionais com audiências internas.
Hoje há quem diga que vale mais um cartão partidário do que uma  Identificação Civil.

A única similutude e semelhança com as causas do conflito de 7 de junho de 1988 é o siguinte:

Nino Vieira em vez de descutir com as forças da oposição políticas e militares internas e derrimir as diferenças, ponto de vista política e intresses, preferiu convocar as forças militares externas para combater os seus ex-colegas (combatentes da luta de libertação) para os combater.

Hoje infelizmente o reduto do PAIGC, em vez de optar por um diálogo à sério, construtivo e pacífico com os adversários políticos e Forças de Ordem Pública, prefere confiar confiar na CEDEAO e nas suas forças militares sediadas no País, humilhando as instituições da justiça e as forças para militares públicas, sancionado as chefias militares guineenses e etc..

Algo semelhante que estiveram na base do conflito de 7 de junho de 1988...
As causas são iguias mas provavelmente os efeitos não serão iguais...

Entretanto os sentimentos da repulsa nacional por estas atitudes do PAIGC e da CEDEAO, podem vir a ter outras consequências de contornos imprevisíveis...

Haver vamos...
Quem avisa amigo é!

É hora de refletirmos bem, para que não reeditá-mos os mesmos erros do passado...

quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

3 nomes em cima da mesa para futuro ministro de Interior:

1. Otavio Alves .
2. Djoe Cabral .
3 Djon Montero - Este aqui seria um perigo e falta de respeito a muitos .
EXCLUSIVO

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS SERÁ NO DIA 10 MARÇO DE 2019.
DOKA INTERNACIONAL SEMPRE NA LINHA DA FRENTE DA INFORMAÇÃO

Deixem o País respirar..
Bô dissa nó Terra dá folgu...
A Guiné-Bissau vai de mal a pior, e os guineenses estão a perder a serenidade e a Paciência.

É compreensivel que aproximamos das Eleições, mas não é aceitável que a nossa Terra cresça de cima para baixo.

Não é toleravel neste momento o "Vale Tudo" , haverá vida depois das eleições e indipendentemente das nossas opções políticas continuaremos a ser Guineenses de Gema.

Tantas greves sem respostas, e o governo em vez de negociar e tentar salvar o País opta por prender as pessoas, ameaçar as pessoas? É inacreditável tudo isso, mesmo no regime do Partido único este tipo de comportamento e prepotencia é inaceitável e repudiante.

O mais caricato de tudo é, alguém oferecer viaturas aos Guineenses, e em vez de perguntaram a quem ofereceu, porque ofereceu ? e Para quê? resolveram prender os beneficiários. Se isto constitui crime, por favor mostram-nos a lei do País que disse que as Pessoas não podem ser oferecidos bens ou algos semelhantes.

Quero vos relembrar que já assistimos a centenas de ofertas de viaturas a políticos, deputados, artistas, líderes religiosos e Régulos provenientes da mesma instituição da República e nunca vimos esta onda de contestações.
Irmãos guineenses, vamos fazer política doutra forma, com menos intrigas e ódios e deixem o País respirar, caso contrário haverá onda de explosões sociais que o nosso país não está preparado para enfrentar.

Se há um problema, vamo-nos sentar e dialogarmo-nos a bem de todos nós.

Evitemos de repetiro os erros do passado , já é tempo de aprendermos com os nossos proprios erros.

A força não resolve nenhuym problema entre irmãos, porque mesmo depois da guerra havemos desentar numa mesa e falarmos.
Este é o conselho de quem conhece a guerra, e não quer ver nada semelhante na terra que o viu nascer.

Viva  Diálogo,
Viva a Paz
Viva a hermonia

Blungudjibá

PROGRAMA ELEITORAL DO MGD: "KAMINHU PA KUMPU TERRA"

Foram vários meses de um trabalho árduo. Um trabalho feito com um grande sentido patriótico, com sabedoria e com muita responsabilidade.

O Programa Eleitoral (alargado) do Movimento Guineense para o Desenvolvimento (MGD) para as próximas Eleições Legislativas já está pronto. São 145 páginas de um trabalho profundo, sério e com uma visão ampla, clara e exequível para a Guiné-Bissau.

Assim que começar a campanha eleitoral, o MGD apresentará aos guineenses a sua moção estratégica global da governação, ou seja, "Kaminhu pa Kumpu Terra".

O Movimento Guineense para o Desenvolvimento (MGD) prometeu desde o início que ia ser um Partido diferente. 
Sim, na qualidade do Presidente do MGD, estou em condições de humildemente afirmar que somos, de facto, um partido diferente. Um partido com ideias, visão, perspectivas e projectos concretos para a Guiné-Bissau.
Agradecemos, desde já, à equipa que trabalhou neste programa, de uma forma incessante.

Com o empenho e a determinação, vamos mudar a Guiné-Bissau.

#MGD: "KAMINHU PA KUMPU TERRA"

--Umaro Djau
Presidente, MGD

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

TRAIÇÃO COM DOKA INTERNACIONAL ??? VAI HAVER MERDA .
APENAS AGUARDAREI ATE AMANHA. 
24 HORAS PARA FALAR O QUE TENHO PARA FALAR AO MUNDO E AOS P5. 
FAZER USO DOS MEUS CANAIS?

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

A Diáspora Guineense não conta para nada

Pois é, o recenseamento eleitoral começou mal e com poucos Kits, e depois de quase 20 dias teve o seu inicio na Diáspora com um unico KIT para cada país Europeu: Portugal,França, Reino Unido, Belgica,...

Os agentes de recenseamento tinham que deslocar de região à região ou de Distrito à Distrito como foi o caso de Portugal.

E segundo disseram, as deslocações dos Kits dependiam das respostas das Câmaras Municipais ou das  Juntas de Freguesias.

depois de cerca de 4 semanas de trabalho, com uma capacidade de menos 100 eleitores diários, o recenseamento simplesmente parou por alegada falta de pagamento primeiro ao  C-5, e dias mais tarde foi enterrompido por falta de pagamento aos Técnicos do GTAPE.

Assunto este que chegou de imediato ao conhecimento dos Embaixadores e consequentemente ao Governo, mas nada foi feito para alterar o cenário.
No território nacional também houve sobressaltos, mas ainda decorre o recenseamento com os dados a apontarem os 95% dos eleitores inscritos.

Será que aqui na Diáspora alguém se interessou a saber a percentagem dos Guineenses recenseados? Eu diria que não, porque talvez as opiniões emitidas a partir da Europa pelos Guineenses nunca agradou o poder de Bissau que quer continuar a explorar o seu próprio povo, mantendo-lhes na escuridão do conhecimento, na miséria e na morte precoce devido a fome e as doenças.Por enquanto, os nossos recursos e toda a nossa riqueza comum continua a ser dilapidada, roubada e vendida ao desbarato aos amigos e comparsas.

 E, como a nossa Diáspora não conta e nunca contou, por é simplesmente ninguém se interessou na continuidade do recenseamento nestes países.

Será ilegal dizer depois que um Partido elegeu o Deputado na diáspora Europa, se o número dos Votantes ser muito inferior aos Circulos Eleitorais menos populoso no Território Nacional.Para mim, este Deputado não teria legitimidade de Representar a Diáspora Europa, porque ninguém o elegeu e ninguém o conhece, a não ser o seu próprio  Partido.

Só que, esta Diáspora merece muito mais Respeito e Consideração.

A Diáspora Europa é um dos Principais parceiros do governo na irradicação da fome e da miséria junto da nossa População. Se na verdade axiste ainda a frágil paz social na Guiné-Bissau, é porque os Guineneses na Diáspora continuam a enviar dinheiros e outros bens aos familiares e amigos dentro do território nacional.
A nossa Diáspora sempres esteve , está e estará na linha da frente no processo de reconstrução nacional do nosso país.

E, esta Diáspora também quer participar no processo político da Guiné-Bissau, e quer ter a sua opinião e ser ouvido em todo este processo.
Nunca devemos esquecer, que viver na Diáspora não é um Luxo, mas sim fomos obrigados a estar cá.  cada um com o seu motivo: Outros fugiram da perseguição política, outros da guerra, outros da doença, outros a procura do conhecimento  e do saber, e muitos fugiram da fome , miséria e desemprego.

Mas, se um dia a nossa terra mudar,  maioria dos seus filhos dispersos pelo mundo voltariam a Pátria-Mãe para viver e trabalhar.
A Diáspora Europa reclama assim o seu direito dentro da sociedade guineense, e recomenda ao Governo a dar a maior atenção aos Guineenses que hoje por várias razões não podem estar dentro do seu País fisicamente, mas sempre têm a Guiné-Bissau no Coração.
Viva a Guiné-Bissau
Viva a Diáspora

Blungudjibá

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Tendi pressa, nunka ka kumpu kombersa di Guiné-Bissau 
Por: Mestre Ismael Sadilú Sanhá

Confiante estava o antigo representante especial do secretário-geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau, Dr. Ramos Horta, ao profetizar que, em caso conseguisse uma coligação entre o primeiro e o segundo mais votados nas eleições legislativas passadas, vai permitir alcançar a estabilidade política e económica. Isso não passou de uma mera quimera pois frustrou as suas expectativas.  

Infelizmente a missão do Dr. Ramos acabou, mas a Horta (problemas) ficou e estão a vegetar. 

E agora que os grandes fragmentaram, só não sei dizer se foi no meio ou na ponta, surgiram em catadupa os novos e há todo um frenesim para controlar o poder, também não sei dizer se é absoluto ou parcial, será que a PRESSA de ir às urnas vai ser uma panaceia para acabar com está prolongada crise? 
A pressa sempre foi inimiga da perfeição e para a Guiné-Bissau (GB) tem constituído um fardo colossal, “quiçá” mais pesado do que a cruz que Jesus Cristo carregou para amortecer os pecados humanos. 

A única diferença entre as cíclicas crises que a GB tem passado, reside essencialmente no “modus faciendi”, mas tem-se recorrido ao mesmo método e antídoto para resolvê-las. Seja a visão endógena ou exógena tem sido retilínea e direcionada.

Perante esta situação, confere-me descrever os antecedentes fatuais:
Após a fatídica e desastrosa guerra de 7 de junho de 1998, para normalizar o país e restabelecer o quadro legal, sem antes procurar fortificar as instituições que estavam muito debilitadas e padeciam da “síndrome de Estocolmo”, dotando-as de capacidade necessárias para prossecução da sua missão, deu-se a primazia “à pressa”, custe o que custar, sob condicionalismos estoicos impostos pela comunidade internacional para dar ajuda financeira, o país tinha que ir às eleições de imediato.

Como já nos habituaram, pensava-se, tendo um presidente e um primeiro-ministro, sufragadas nas urnas ça va allez. Da noite para o dia, o estado das coisas iria dissipar-se e entrar na linha, porém temos assistidos a um definhamento vertiginoso das instituições e do Estado. 

Com o advento do golpe de Estado de 2012, mais uma vez, foi encontrado um antídoto extremamente erróneo e periclitante para inverter o curso das coisas. Pois o Dr. Ramos Horta achava que tinha solução magica na manga para curar “tchaga n´kurbadu” que tem afligido o país. Desta vez, não vai aplicar-se “penicilina”, mas sim “citi malgós”. 

Devido à vontade férrea de chegar ao poder, ninguém teve discernimento para parar e pensar qual deveria ser a saída plausível, a comunidade internacional disponibilizou-se de imediato para desembolsar avultadas somas para apoiar as eleições, como se fosse a panaceia e que, num ápice, os crónicos problemas iriam evadir-se, fugazmente. 

Não era segredo para ninguém, que havia o resquício da divida por saldar e a resiliência que se mantinha, era uma questão do tempo, até jorrar uma “diarreia”. Foram ignoradas as quezílias latentes no seio dos partidos, em vez de se tentar compreender a dinâmica dos problemas endógenos e encontrar uma solução para mitigá-los. Isso vai permitir para governar. 

Entretanto, o Dr. Ramos Horta decidiu encurtar caminho e ser arrojado, tentando implementar uma bitola altamente nociva e desenquadrada à situação da GB, para alcançar a estabilidade política, ao adotar um sistema político híbrido “a bipartidarização” para governar. Isto quer significar obrigar o vencedor a dividir o poder com os outros, forçando uma coabitação com os interesses diametralmente antagónicos.  

Cumpri-me salientar que este paradigma já havia sido experimentado, quando o PRS, pela primeira vez, venceu as eleições tanto presidências e legislativas, forjou uma coligação com o Partido Movimento Bafatá, sendo a terceira força política mais votada e o com outros partidos minoritários, mas não surtiu efeito esperado, devido ao acentuado e constante desentendimento que desabrochou, o que acabou por decapitar vilmente a coligação.

De fato, conseguiu-se a “união de fato" apesar de ser efémero e não a partilha equitativa ou equilibrado do poder entre os dois partidos.

Como o tempo é dono de tudo, o que Dr. Ramos Horta esperava estancar num estalar dos dedos e num curto espaço do tempo, os problemas que se tentavam resolver há vários anos desbaratando o erário público de outras nações, não se concretizaram. Esqueceu-se que a rebeldia está entranhada no DNA dos guineenses. Somos rebeldes!

Se durante onze anos, com parcas materiais de guerra, os guineenses conseguiram com bravura bater de frente com os tugas, quanto a mais um timorense (riso). Era uma questão de dias até a crise política profunda fosse disseminada em todas as instituições da República. 

Infelizmente, os louros políticos não foram além-fronteiras, para demonstrar ao mundo o que significa “realpolitik”, no CV do Ramos Horta, passa a constar que esteve na GB a representar ONU e não mais que isso. A sua pretensão de ser chamado herói do nosso tempo, caiu em desuso. 

Como não temos sabido aprender com os erros sistemáticos, mais uma vez, a omnipotência está a falar mais alto, alguém decidiu sacar a “pressa” da cartola, passando por cima do clima de desconfiança acutilante, descurando os antecedentes fatuais ao tentar empurrar o país para eleições, com os nervos à flor da pele, ou seja, com os ânimos exaltados para resolver “tchaga n´tigu i n´kurbadu”. 

Ainda vai a tempo de colocarmos um freio neste ambiente ostracizante, com vista a alcançar um amplo consenso e de melhor maneira possível organizar as eleições. 

Bissau, 17 de dezembro de 2018.
               

Arisides Gomes desautoriza o poder judicial guineense de entrar no GETAP e manda as forcas da ECOMIB se posicionarem. 

sábado, 15 de dezembro de 2018

CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU

A maior desgraça deste País (a Guiné-Bissau), chama-se impunidade. Esta maldita impunidade, que tem marcado negativamente o nosso percurso histórico, minando os nossos esforços de afirmação nacional e da consolidação da nossa soberania. Uma impunidade que todos condenam, mas que ninguém se dispõe a combater, porque todos querem ser impunes perante a Lei, ignorando que “o acatamento voluntário da Lei constitui a suprema manifestação da liberdade do indivíduo”.

Hoje decidi debruçar sobre este fenómeno, convencido de estar a colocar em cima da mesa uma preocupação nacional que paulatinamente vai adquirindo contornos extravagantes, considerando a simplicidade para não dizer leviandade com que figuras públicas, altos representantes do Estado, dirigentes políticos e cidadãos comuns, que por ideia deviam assumir a luta pela sua abolição, contribuindo por conseguinte para fortalecer os alicerces do Estado de Direito Democrático no nosso País, tarefa essa que nos interpela à uma observância rigorosa dos valores à ele inerentes, onde sobretudo se ressalta “O RESPEITO PELA LEI E PELA DIGNIDADE HUMANA”, preferem fazer uso da generalizada impunidade derivada da precariedade do funcionamento da justiça, para numa atitude de agravada intolerância política e social e movidos por um espírito maquiavélico, criminoso e animalesco, abusarem do Poder, perseguindo, prendendo arbitrariamente, torturando, assassinando sem dó nem piedade os seus conterrâneos, em nome de arcaicos interesses pessoais e corporativos.

Esta atitude de enorme irresponsabilidade perante Deus e a História, foi corroendo paulatinamente os alicerces do Estado, minando o funcionamento das suas Instituições, mergulhando o País num clima de incertezas, perigando a nossa Soberania Nacional, fragilizando seriamente a nossa imagem e dignidade perante os nossos parceiros de desenvolvimento.

Sua Excelência, a sua eleição ao cargo de Presidente da República da Guiné-Bissau foi saudada com esperança, tanto pelo nosso povo como pela Comunidade Internacional, convencidos de estarmos perante um virar de páginas no exercício do Poder Político, reivindicando uma abordagem qualitativamente nova, dignificante do Instituto Presidencial e do fortalecimento e impecabilidade do funcionamento dos Órgãos de Soberania, relegando para a história os tristes episódios que nos atiraram para o fosso da miséria absoluta:

A Sua Excelência trazia na bagagem uma imagem quase imaculada, coerência, intransigência, exigência e obviamente aquela dedicação profissional que possibilitou o perdão total da dívida externa à Guiné-Bissau no valor de um bilião e trezentos milhões de dólares (1.300.000.000 de dólares) para mais tarde o País beneficiar de um crédito financeiro no valor de um bilião e quinhentos milhões de Euros (1.500.000.00€), na famigerada “Mesa Redonda” de Bruxelas;

Durante o seu consulado nenhum cidadão guineense seria privado dos direitos e liberdades proclamados na presente Declaração Universal dos Direitos do Homem. E hoje, quase cinco anos volvidos desde a sua eleição, congratulámo-nos com o facto de o nosso País deixar de ser palco de espancamentos, torturas e homicídios, para se transformar em baluarte da liberdade de expressão e do exercício de cidadania;

Durante o seu Consulado, nenhum cidadão guineense seria perseguido, arbitrariamente preso, barbaramente torturado e assassinado só para que a sua esposa seja obrigada a satisfazer os caprichos sexuais do Presidente da República ou dum seu lacaio qualquer.

Sua Excelência, reconhecendo nas suas decisões um conjunto de medidas tendentes a melhorar o panorama económico e sociopolítico no País e fazer da Guiné-Bissau um espaço propício para a vivência e convivência humana, lamento o facto de elas (essas decisões) perderem consistência ao longo da sua implementação e nunca atingirem os objectivos preconizados:

1. A DECISÃO DE DESTITUIR O GOVERNO DO PAIGC – apesar de desprovido de Poder, a Direcção do PAIGC conseguiu estabelecer um controlo absoluto sobre a imprensa nacional, desgastando e descredibilizando por completo a imagem do Presidente da República, relativamente a veracidade das motivações dessa decisão;

2. A DECISÃO DA ASSINAR O “ACORDO DE CONAKRY” E FORMAR UM GOVERNO COMPOSTO EXCLUSIVAMENTE PELO PRS E OS “15” - Apesar da reconhecida simpatia que alguns Chefes de Estado da CEDEAO dispensavam à este Governo e ao próprio Presidente da República em detrimento do PAIGC, cujo Presidente era considerado na nossa Sub-região como agente da CPLP, na hora de proceder ao balanço final, a CEDEAO decidiu ilibar o PAIGC e sancionar o Presidente da República e os elementos mais influentes do PRS e dos “15”;

3. A DECISÃO DE SUBSTITUIR O “ACORDO DE CONAKRY” PELO “ACORDO DE LOMÉ”- Deste acordo, resultou um Governo de gestão dos assuntos correntes do Estado, nomeadamente a educação, a saúde, o pagamento dos salários, a segurança dos cidadãos e a defesa da integridade territorial do País, que devia culminar com a realização de eleições legislativas no passado 18 de Novembro do corrente ano.  E hoje, oito meses depois da sua instituição, este Governo não conseguiu atingir nenhuma das metas previstas no “Acordo de Lomé”:

A EDUCAÇÃO NÃO FUNCIONA;

OS SALÁRIOS NÃO SÃO PAGOS;

O SISTEMA DE SAÚDE ESTÁ MAIS PRECÁRIO DO QUE NUNCA:

AS ELEIÇÕES NÃO FORAM REALIZADAS;

O RECENSEAMENTO ELEITORAL ESTÁ A SER FORTEMENTE CONTESTADO PELOS PARTIDOS POLÍTICOS, CORRENDO O RISCO DE PÔR EM CAUSA A CREDIBILIDADE DO PROCESSO ELEITORAL E OS SEUS RESULTADOS. SERIA A PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA DA NOSSA DEMOCRACIA, QUE OS RESULTADOS DAS ELEIÇÕES SERIAM CONTESTADAS, NA MEDIDA EM QUE, MESMO DEPOIS DO CONFLITO ARMADO DE 1998, A GUINÉ-BISSAU FOI CAPAZ DE REALIZAR ELEIÇÕES DIGNAS DESSE NOME. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA DEVIA TER EM CONSIDERAÇÃO AS IRREGULARIDADES DESTE PROCESSO DE RECENSEAMENTO, QUE NO FUNDO IRÁ SERVIR DE BASE ÀS FUTURAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS.

Apesar de tudo, o Presidente da República insiste em manter em funções este Governo que deu evidentes provas de incapacidade, desonestidade e má-fé, com todas as consequências daí derivadas.

SOLUÇÕES: Sua Excelência, todas as decisões perseguem determinados objectivos e se no seu caso as decisões têm falhado os objectivos, é devido a falta de assessores e conselheiros capazes de interpretar correctamente as suas decisões, assumi-las e fazer com que atinjam os objectivos preconizados. Por outras palavras, tanto técnica como politicamente, a Administração Presidencial deve estar melhor apetrechado do que o próprio Governo, como forma de assegurar um exercício de excelência das suas funções de fiscalizador e moderador.

BEM-HAJA A GUINÉ-BISSAU! 

 



 

Ligações perigosas e branqueamento de capital no Ministério das Obras Públicas/Fundo de Conservação Rodoviária.

O pedido de demissão do PCA deste órgão manifesta o total desagrado à ma gestão ou seja, a suposta corrupção fabricado em nome do PAIGC.

Mais pormenores sobre ligações de convivências e de mal feitores (Kankan - um dos cancros da nossa sociedade .

Doka Internacional na discubri MATU

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

A  Esperteza Vs Inteligência

Estas duas palavras do dicionário português não são sinónimos. Quem é esperto pode não ser inteligente, o inteligente muita das vezes é esperto. Mas, também pode não o ser.

Estou a querer esclarecer este assunto, porque tem-se falado muito de inteligência na politica nos últimos tempos.
Tem-se regozijado que, algum político é super inteligente e outros não.

Tem-se falado na exiustência de Partido com Quadros inteligentes e outros não.

Tudo isto não passa de uma propaganda política  barata e sem nexos. Porque o ser vivo nasce com uma certa capacidade de inteligência, que na verdade é diferente de pessoa para pessoa.

Só que esta inteligência só é revelada na prática com alguma instrução ao longo da vida: instrução académica, profissional ou até de um simples ofício (jeito de fazer as coisas).Mas, tudo isto depende do meio em que o individuo cresce e das oportunidades que a vida lhe oferece.

Há muitos inteligentes que depois não revelam as suas capacidades porque não tiveram a oportunidade. Mas, também existem muitos não inteligentes que a oportunidade da vida lhes ajudou a ser alguém na sociedade.

Existem pessoas espertas que não são inteligentes, jogam-se muita das vezes com a experiência e conseguem algo na vida. As vezes pensam que são mesmo inteligentes, mas não são.

A esperteza é usada na vida para resolver certos problemas, baralhando as cartas, enganando as pessoas e ludibriando a vida.
A inteligência normalmente é usada em prol da sociedade, ajudando a melhorar a qualidade de vida das pessoas e preservar o nosso habitat comum- A terra.

Na Guiné-Bissau temos muitas pessoas inteligentes que ninguém conhece, fazem os seus trabalhos de dia-á-dia para ganhar honestamente sustento para as suas familias e estão a ajudar o País a crescer, só que continuam no anonimato.

Mas, há pessoas que de inteligentes nada têm, pela força da experteza, estão na politica para dilapidar  o que é nosso. E vendem-nos as suas imagens de inteligentes, intelectuais, etc...
Estas pessoas não passam de umas Bestas,Mediucres, Burros, Ladrões e Opotunistas. Porque de inteligência nada têm, porque se tivessem saberiam resolver o problema do Povo. Visto que, este Povo é trabalhador, e nem sabe pedir muito.

 O Povo Guineense quer somente resolver os problemas básicos para o seu bem-estar, como;

A paz e a tranquilidade;
A saúde;
A educação e emprego;
A água e luz eletrica;

As infraestruturas rodoviárias e marítimas;
 Direito a três refeições diárias; E finalmente
A Justiça e a proteção.

E, em vez de satisfazeram as necessidades deste Povo, assistimos as jogadas de espertezas entre os políticos, cada um a tentar usar a sua para continuar a enganar este POVO.

VOS DIGO UMA COISA, ESTE POVO ACORDOU...
SÓ GOVERNARÁ O PARTIDO OU O POLITICO COM PROPOSTAS E PROJETOS QUE VISAM MELHORAR A VIDA DESTE POVO.

por isso não vale a pena querer roubar o recenseamento ou as eleições, o importante é responder as necessidades deste POVO MÁRTIR.

Não queremos Chico espertos, queremos sim políticos com sabedoria e que pensam em primeiro lugar no Povo, em segundo lugar no povo e em terceiro lugar no Povo.

Blungudjibá



quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

A Guiné-Bissau vs Comunidade Internacional

Para muitos Guineenses a Comunidade Internacional não passa do famoso P5. e muita das vezes se esquece que embora sendo um País pequeno, economicamente frágil, a Guiné-Bissau não deixa de ser um País soberano e Membro de Pleno direito da ONU.E que de uma forma voluntária integrou as diversas organizações internacionais numa cooperação bilateral ou  multilateral.

É compreesível o interesse deste P5 para com a Guiné-Bissau. Porque para além da ONU e a UE que fazem periodicamente a rotação dos seus Colaboradores Seniores, as outras Organizações Africanas e Sub-Regionais mantêm os seus funcionários add eternos em Bissau como fonte segura de emprego bem renumerado a custa da dita  instabilidade.

Um chefe de Missão de uma organização internacional Credível não pode permanecer num País por um periodo superior a 4-5 anos, porque corre o risco de criar compadrios, clubes de piqueniques , negociatas e Vícios  de diversos índoles.

Será que o Guineense comum sabe quanto custa a permanência no nosso País da UNIOGBIS? ou da Força da ECOMIB?

Muitos vão dizer não é o dinheiro da Guiné-Bissau,sim.Mas é contabilizado como ajuda financeira a estabilização da Guiné-Bissau. 

Dinheiro esse que podia manter as escolas e hospitais Guineenses a funcionar durante muitos e muitos anos. Ou podia servir para o abastecimento da água potável e luz em todo o território nacional, ou ainda alcatroar todas as estradas primárias do nosso país.

A grande parte deste dinheiro serve simplesmente para pagar salários milionários e combustiveis a estes Senhores que andam a passear com meninas pobres Guineenses nas discotecas, hoteis e aparthoteis de Bissau.
Estes ditos Expatriados ou Cooperantes, não tentam conhecer o País ao fundo, não preocupam em conhecer o pensamento real deste povo, e limitam a escrever nos seus relatórios os pensamentos dos seus comparsas do poder.

Será que esta mesma Comunidade Internacional não tem poderes para atuar por exemplo na Guiné-Conacri, no Togo ou em Moçambique onde periodicamente assistimos problemas pré e pós eleitorais?
Porque é que deve ser somente a Guiné-Bissau?

Não consigo compreender a prepotencia da CEDEAO em ditar as leis na Guiné-Bissau, ao ponto de querer substituir o Presidente da República na marcação da data das legislativas próximas?

Por favor, digam a CEDEAO, que não haverá nenhumas eleições na Guiné-Bissau que não respeitem na integra as leis e os prazos legalmente instituídos na nossa Lei Magna.

Quero vos dar um Conselho de amigos, este País vai mudar.Pode até aguentar esta pressão por muito tempo, mas um dia voces hão de Conhecer o verdadeiro espírito revolucionário Guineense.

Esta atitude de falta de respeito para com a Guiné-Bissau, as suas autoridades e os Guineenses em geral tem dias contados.

Vão para as vossas terras, organizam-nas primeiramente e deixem que os Guineenses se entendam.

 Porque a vossa Democracia não é em nada melhor que a nossa.

Blungudjibá

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

O comunicado final da CEDEAO como ultimato a um estado soberano?
Tamanha falta de respeito!!!

Como pode uma organizacao sub regional dar ultimato a um pais soberano?

JOMAV o sr .tem que contornar isto.

Saudades de Koumba Iala 

MINISTERIO DAS OBRAS PUBLICAS NA TAFAL TAFAL...., E DOKA INTERNACIONAL ODJA NHU KANCAN NA SAI DE FINANÇAS.

DINHERU CABAAAAA!!!!

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE TUDO ISTO E DOS PRINCIPAIS SACANAS KU NA MAMA TACU.

Hoje eu Doka Internacional sou o Caminho, eu sou a Verdade e a vida de muitos.  Aquele que me ouvir, saberá toda a verdade e poderá se cuidar daqueles que se aproximam de vós com pele de cordeiro, mas que no fundo são piores do que lobos devoradores.
Hoje longe da mentira e de mentirosos faço a minha vida e a mesma se tornou e se transformou num jardim de flores

Jomav é obrigado a ter em conta vários processos que tocam com a justiça.

A justiça é a vingança do homem em sociedade, como a vingança é a justiça do homem em estado selvagem

A justiça sem a força é impotente, a força sem justiça é tirana.

O juiz não é nomeado para fazer favores com a justiça, mas para julgar segundo as leis.
Eu Doka Internacional apelo a todos que pertencem a esfera judicial que pensem e repensem nos seus atos, porque um dia será essa mesma justiça que os irá bater a porta.
A ingratidão e a maldade são e fazem parte do ganha pão desta nação.

Dizem que as pessoas boas Deus leva logo, e esse tipo de comentário está certíssimo, porque quem leva os maus é Satanás, e como ele tem muito serviço por isso que demora em levar embora aos políticos guineenses porcos e covardes.

Guiné Bissau, um país de mentiras com políticos mentirosos e nojentos ao lado de governantes de baixa capacidade intelectual e moral desgovernado.

Com uma justiça prostituta que se vende a torto e direito, cúmplice de tudo que seja mal, acobertando aos criminosos e incentivando ao crime, dando incentivos para o aumento da bandidagem e tudo que seja para prejudicar a este povo.

Todos sabemos que o mundo anda tão difícil, que até o diabo não aguentou. 
Nomeou seus substitutos- políticos guineenses, e se mandou daqui.


Devido a tudo isso, esta terra tem estado a viver em sobressaltos no decorrer destes 45 anos de independência.

No entanto de uma coisa podemos ter a certeza e mantermos firmes, de que o diabo amassa o pão, mas é você quem decide se come.


PERDIDOS NO TEMPO E NO ESPAÇO.

Negócios sujos como trafico de droga, prostituição e pedofilia, são casos que predominam e comandam o dia a dia dos guineenses na Guiné Bissau.

Quanto as eleições legislativas poderão ser realizadas em Março de 2019 entre 10 ou a 15 do mesmo.

Depois da perda parcial da nossa soberania, apenas nos resta a esperança de umas eleições justas e transparentes..., o que vai ser difícil e impossível porque quem perder, sabe que passará ao tempo dos dinossauros ou do Hitler.  
Estamos num barril de pólvora e a qualquer momento e escaldar das coisas poderá permitir o arrebentamento, a explosão de tudo o que se encontra oculto e em silencio.   
Culpados? O próprio povo e ninguém mais.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018


Grito de Socorro: Guerra Civil, Nunca Mais!
Estamos a assistir pacificamente o aumento da temperatura sociopolitica em Bissau, e sem fazermos praticamente nada para a baixar.

Nunca houve problemas durante o processo de recenseamento eleitoral, e não será desta vez.

As eleições se fazem para respeitar a vontade do Povo, e não para roubar esta vontade.

As crianças guineenses estão sem aulas desde o início do ano letivo. Mas, os filhos dos Políticos e Governantes estão a estudar em melhores escolas nacionais e no estrangeiro.

Os hospitais estão a Deus dará, embora os profissionais de saúde estão a fazer milagres, mas estes Políticos e governantes estão a receber dinheiros públicos para tratamentos médicos na europa.

O Governo que tinha a missão exclusiva de gerir assuntos correntes, pagar salários e organizar eleições está-se a ocupar de outras coisas, e a fazer a pré-campanha eleitoral.

As nossas Forças Armadas continuam dentro dos quarteis conforme manda a constituição da República. e desta vez ninguem dirá que são as Forças Armadas. Embora, não devemos esquecer que também são cidadões nacionais e estão a sofrer com tudo isto.
Mas, toda a paciencia tem limites. E Mesmo assim, continuaremos a pedir as Forças Armadas uma certa equidistância do Poder e as jogadas Políticas.

Irmãos Guineenses,não deixemos que a CEDEAO e a Nigéria nos provoquem mais uma Guerra Civil, por favor. Ainda temos na mente as consequências de 7 de Junho de 1998.

Este País não resistirá mais uma Guerra Civil, sobretudo neste momento em que o ódio está destilado e proliferou por toda a sociedade. 

Nesta altura , qualquer conflito poderá tomar proporções incontroláveis e transformar-se num Genocídio.

Por favor, vamo-nos sentar e dialogarmo-nos.Porque não precisamos de umas eleições a qualquer preço, não precisamos de mais lágrimas e mais sangues.

Caso for necessário, anulemos este dito recenseamento e pedimos a ONU e algumas Organizações Internacionais credíveis com exceção da CEDEAO e a República Federal da Nigéria, onde recaem todas estas suspeitas, que nos ajudem a fiscalizar todo o processo eleitoral, desde as Legislativas até ao Presidencial.

Repito, se não forem criados consensos e confianças neste processo, haverá problemas de contestações dos resultados, que quase não tenho dúvidas, irão desembocar num conflito, cujo as consequências serão dolorosas para todos os Guineenses.

Este é o grito de Socorro de um Guineense que tanto ama a sua Pátria.
Viva a Guiné-Bissau
Viva a Democracia
Viva a Paz e o Desenvolvimento
Viva a Transparência Eleitoral

Blungudjibá