OGIVA NUCLEAR

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

BISSAU: CONTINUA PERSEGUIÇÃO POLÍTICA 
desta vez na pessoa da atual diretora geral da policia judiciaria guineense que persegue ao Doka internacional por questões politicas..., apenas porque Doka internacional se posicionou a favor de JOMAV.

Bô ta bin na argumenta! Bô mati tudu, director-geral di PJ na randja Doka Internacional kutchur-katchar, más, dé!...

Existem indicações fortes para que Doka Internacional seja sequestrado de novo a qualquer momento inclusive assássinado, por quem e a mando de quem???  logo saberemos.

Por outro lado, Recordar que esta mesma diretora geral já teria participado no seu  1º Sequestro visto que a mando de Carmelita Pires, ela deu ordens ilegais e de uma forma abusiva aos seus agentes para que praticassem tal ato porco e nojento, pois ela sabia de ante mao que o que estava fazendo era errado, mas continuando...,  o mesmo ato culminou com o roubo dos 4 milhoes 490 mil francos cfas, e do telemovel no valor de 450  euros que viria ser devolvido depois de 6 dias- telemovel...., dinheru é fica kel.

O ativista dos direitos humanos mantem- se firme no desempenho do seu trabalho e continua denunciando a tudo e a todos.
Regista-se mais uma forte intenção de retaliação contra Doka Internacional, em Bissau a qualquer momento por parte da atual diretora geral da pj guineense. 

Perguntamos aos guineenses, amigos da verdade e ao mundo, se Doka Internacional é conivente nos assassinatos de Tchico Té, Paulo Correia, Nino Vieira, Tagmé Na Waié, Baciro Dabó, Helder Proença, Roberto Cacheu, Yaia Dabó, Samba Djalo, entre muitos outros que, há muito, a Justiça guineense deveria esclarecer, mas que até hoje faz "orelhas moucas"? 


Porquê que o poder político actual na Guiné-Bissau não segue no encalço dos assassinos, narcotraficantes e corruptos que vagueiam impunemente pelas ruas de Bissau, mas sim ao Doka, o Denunciante que luta para que se faça justiça?

Afinal, a democracia e liberdade de expressão são termos utilizados apenas para atingir ao poder político? 

Já tínhamos avisado desde o primeiro minuto de que o caso do Doka não é judicial, mas sim de índole eminentemente político. É o regresso aos tempos da PIDE-DGS. 

Por isso, exortamos, mais uma vez, todas as pessoas de bem e de paz, as entidades nacionais e estrangeiras a tomarem diligencias no sentido de pôr cobro a esta perseguição política teimosa contra o Activista Doka Internacional em Bissau. 

Doka Internacional é apenas um blogger entre milhares, Activista dos Direitos Humanos e Denunciante. Estamos em democracia. Façam o vosso trabalho e deixem o rapaz livre e em paz.

Je suis Doka

Sem comentários:

Enviar um comentário