OGIVA NUCLEAR

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

O BLOGUE “PROGRESSO NACIONAL” ATACA O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA NACIONAL

O blogue “Progresso Nacional” do ex-Primeiro-Ministro, Eng.º Domingos Simões Pereira, acusa o Presidente da Assembleia Nacional Popular, Eng.º Cipriano Cassamá, de tentativa de se eximir das responsabilidades que lhe cabem no conflito institucional que opunha o Presidente da República ao Primeiro-Ministro e que resultou na queda do Governo. Este blogue foi ainda mais além, ao ponto de considerar que o Presidente da ANP foi o principal culpado, senão o próprio instigador desse conflito e que agora pretende “sacudir o capote”.

O “Progresso Nacional” pretende desta forma, no seu estilo peculiar de inverter os factos a favor do seu patrono, convencer o nosso povo que o Eng.º Cipriano Cassamá era o principal interessado na instabilidade institucional, para obter no Primeiro-ministro um aliado forte (essa era a impressão que toda a gente tinha de DSP, em virtude da sua passagem pela CPLP), capaz de exercer uma tal pressão no Presidente da República, ao ponto de lhe obrigar a demitir-se, na esperança dele (o Presidente da ANP) se ascender ao cargo, como reza a nossa Constituição.

Está patente que o “Progresso Nacional” virou DESESPERO NACIONAL, porque instigando ou não o conflito entre o Presidente da República e o Primeiro-Ministro, o Presidente da ANP, Eng.º Cipriano Cassamá, fazendo jus as suas qualidades analíticas e as enormes experiências acumuladas durante a sua longa e bem-sucedida carreira política, acabou por reconhecer os seus erros, atribuiu razão ao Presidente da República, Dr. José Mário Vaz (JOMAV) e atempadamente arrepiou caminho, enveredando-se pelo emanado na Constituição.

O Eng.º Cipriano Cassamá tentou ainda chamar o Primeiro-Ministro à razão, rogando-lhe para que fizesse o mesmo em relação ao Presidente da República, mas o seu bom senso esbarrou-se num terrível murro de teimosia e inflexibilidade da parte do Eng.º Domingos Simões Pereira, que em caso nenhum se revelou propenso ao diálogo (facto exemplificado com as precárias soluções encontradas para resolver os conflitos com Abel da Silva, Baciro Djá e outros, que lhe ajudaram a chegar ao topo do Poder).   

Portanto, sem quaisquer intenções de absolver totalmente o Presidente da ANP, contudo, consideramos infundadas as maquiavélicas tentativas de denegrir a imagem daquele que é, constitucionalmente, a segunda personalidade mais importante na hierarquia do nosso Estado. O grande pecado do Eng.º Cipriano Cassamá, foi sem dúvidas o facto de um político do seu gabarito se ter envolvido num diferendo, cuja génese e gravidade desconhecia por completo. O Presidente da ANP não previa que o Primeiro-Ministro, mesmo estando ciente da sua culpabilidade, valendo-se dos imaginários apoios internacionais que pensava possuir, continuaria a investir-se contra o Chefe de Estado, acentuando a crise nas suas relações pessoais e institucionais, com as consequências que marcam o nosso presente.

Agora que os dados estão à vir à tona, tornando-se património público, a decisão de demitir o governo vem angariando cada vez mais simpatizantes e o Presidente da ANP, enquanto cidadão e estadista, não podia e nem pode ficar indiferente à essa mudança de opinião pública e tende, naturalmente, à inclinar-se pelo lado da razão e da constitucionalidade, investindo ele próprio, todo o seu potencial para o virar da página e o iniciar duma Nova Era – uma Era desprovida das crispações institucionais que caracterizam este primeiro ano duma governação para esquecer.

O Eng.º Cipriano Cassamá, na qualidade de Dirigente do PAIGC e Presidente da Assembleia Nacional Popular, não permitirá que o País fique refém de interesses pessoais, familiares ou corporativos corruptos e fortemente instalados em todas as esferas da vida socioeconómica da nossa querida Guiné-Bissau e contribuirá certamente com os seus saberes, enquanto líder de influência e de opinião no órgão Legislativo Nacional, para que a estafeta do Poder entre o Eng.º Domingos Simões Pereira e o Dr. Baciro Djá, seja transmitida com a maior suavidade possível, assegurando desta forma uma continuidade governativa tranquila e orientada para a defesa dos interesses da maioria, como reza o princípio democrático do exercício do Poder.

A ilação que se pode tirar disto tudo, é que o Eng.º Domingos Simões Pereira é realmente um indivíduo muito conflituoso e rancoroso que gosta de dar ouvido e orientar-se pela futilidade e mediocridade, conseguindo no seu curto mandato angariar tanta inimizade, tanto no Partido como no Estado. No que refere ao Eng.º Cipriano Cassamá que sonha ser Presidente da República, estou convicto que tudo fará para respeitar, proteger e fortalecer devidamente o instituto presidencial, para que “a coba de djanfa não venha a revelar-se demasiado estreita para ele, quando um dia ocupar esse cargo”.

EDP – firmes e coesos pela verdade e pela justiça na Guiné-Bissau!

Viva a Democracia Nacional!

Bissau Kila Muda

Sem comentários:

Enviar um comentário