OGIVA NUCLEAR

segunda-feira, 9 de maio de 2016

 Mais uma tentativa de compra de decisão de tribunal, esquema montada pelo triangulo DSP,  Ansumane Sanhá e José Carlos Rodrigues


Pessoas mal-intencionadas não elegem criteriosamente meios para atingir os seus objectivos, fazendo jus ao ditado que diz “quando não há jeito, qualquer é jeito. Ansumane Sanhá, chefe de gabinete do Presidente da Assembleia Nacional Popular, e  José Carlos Rodrigues da Fonseca, secretário-geral da ANP, a mando do DSP e companhia, estão a fazer de tudo, tornando impossíveis em possíveis, para fabricar no tribunal da relação uma decisão, para, mais uma vez, como é característico do grupo, confundir e desinformar a opinião pública. Tem sido esta prátiva
Sabe-se, pois é público, que se recorreu da decisão do tribunal regional de Bissau, que suspendeu a deliberação da Comissão Permanente da Assembleia Nacional Popular, que decretou a perda de mandato dos 15 deputados, entretanto, no decurso do processo, interpôs-se um incidente de inconstitucionalidade, requerendo ao Supremo Tribunal de Justiça-STJ que pronuncie sobre a constitucionalidade da perda de mandato dos 15 deputados, ao que STJ, na veste do tribunal constitucional, decidiu, por intermédio do acórdão nº 3/2016, pela inconstitucionalidade formal e material da deliberação da Comissão Permanente, provocando, deste modo, a inutilidade superveniente da lide, ou seja, com a decisão do STJ, o tribunal de relação deixa de ter motivos para decidir, pois o quesito-questão-já se encontra absolutamente resolvida. 
Até aqui, está tudo bem
 DSP e companhia, fazendo uso dos senhores Ansumane Sanhá e  José Carlos Rodrigues da Fonseca, e estes, por sua vez, fizeram uso da incompetente Juíza Mónica Couper, que tem dito que tem controlo dos seus colegas, para provocar uma decisão da Vara Administrativa do Tribunal de Relação, no sentido de anular a decisão de juiz do tribunal regional de Bissau, permitindo ao DSP usar esta decisão, que não teria qualquer efeito, pois o Tribunal Constitucional já se pronunciou, para, mais uma vez, confundir e dar impressão que o tribunal está a auto contrariar-se. José Carlos Rodrigues da Fonseca tem afirmado, estes dias, na ANP que já foi entregue a Juíza Carmen Lobo o projecto de despacho a ser pronunciado na segunda-feira, que não será sequer alterado, pois esta já foi adquirida. Afirma ainda que estão a criar condições para ter controlo de mais dois juízes, que vão acompanhar a Drª. Carmen Lobo na tomada da decisão, visto que a relação funciona em colectivo, formado, em regra, por três juízes.
Aproveita-se este post para chamar a atenção a Juíza Carmen Lobo e aos senhores Ansumane Sanhá e José Carlos Rodrigues da Fonseca. Drª., é verdade que o memento é tentador e as promessas são, para homens simples, irrecusáveis, sobretudo agora que se fez a antecipação de receitas de campanha de caju, mas está em causa a carreira que construiu com anos de trabalhos árduos, de trabalhar noite dentro para ter decisões que reflectem o nosso ordenamento jurídico e a tua consciência. Mesmo que se deixar comprar, não confunde os teus colegas, como consta que está a tentar fazer.
Aos senhores fazemos saber que estão a ser seguidos de perto, existem fotos, vídeos que testemunham as vossas movimentações.


Sem comentários:

Enviar um comentário