OGIVA NUCLEAR

quarta-feira, 22 de março de 2017

Afinal em que ficamos??? Avançamos ou não???

Os líderes politicos guineenses de meia tigela devem mudar de comportamentos e deixar de bricar com a terra de Amílcar Cabral, Fundador da Nacionalidade guineense . A terra que custou a vida dos nossos herois nacionais. O povo da Guiné-Bissau esta a viver momentos dificeis tendo em conta a situação da crise que prevalece no país devido falta de entendimento e diálogo entre a classe politica guineense. 

No meu entender não são as eleições gerais é que vão acabar com a crise na Guiné-Bissau. E necessário uma forte concertação, dialogo, reconceliação entre os guieneses. 

Para além disso as autoridades devem fazer funcionar a justiça na Guiné-Bissau porque a justiça é uma peça que faz parte da Democracia.
É triste quando o presidente do RGB /Movimento de Bafata fala sobre o discurso do Chefe da Nação guineense Jose Mario Vaz, onde ele disse que é um discurso de incitação a violência e que condenou as censuras nos órgãos de comunicação social publico e por outro lado sublinhou o nao respeito de Acordo de Conakry. Ó lá lá, ó lá lá, senhor Fernando Mendes, pequeno lider do Movimento de RGB/Movimento de Bafata, você é virgem ainda na politica você nao é capaz de levar este grande Partido do falecido Dr. Domingos, Helder Vaz e outros mlitantes para frente. 

Digo isso porque existem documentos constitucionais e legais que orientam o circulo politico da nossa Nação. É necessário respeitar a constituição leis da Republica da Guiné-Bissau. Não foi acordo de Conakry que nos deu a independência, não foi também o acordo de Conakry, que vai orientar o nosso sistema politico ou seja o nosso Estado. 

Amilcar Cabral defendeu e lutou contra o colonalismo português para a liberdade do seu povo, sem acordo de Conakry. Beneficiou somente de uma sede do seu Partido PAIGC, e mais nada.


Quanto as censuras nos orgãos de Comunicação Social que senhor politico de meia tigela Fernando Mendes, referiu na sua declaração é possivel !Tendo em conta, que estas medias são medias publicas tem um Director-Geral que defende o interesse de uma nação, não dos politicos de meia tigela. 

Mas Agora pergunto será que no tempo do ex-Primeiro Ministro Domngos Simões Pereira nao existiu censuras ? senhor Fernando Mendes responde-me esta questão ! 

Agora mudando do assunto assasinaram Tagma, Nino, Helder, Baciro, yaya, Roberto Cacheu e entre outros os lideres politicos nao revendicaram a Comunidade Internacional para fazer uma justiça sobre os assassinatos cometidos , Mas sim estão a pedir a comunidade internacional para implementar o acordo de raio de Conakry. O importante aqui é a reconciliação de todos os guineenses.  

Sem comentários:

Enviar um comentário