OGIVA NUCLEAR

sábado, 7 de novembro de 2015

PROJECTO MON NA LAMA – SALDO POSITIVO
Magistratura de Influência & Diplomacia Económica

Terra Ranka - Imagem Sem Conteúdo ou Atitude Sem Base

Importa começar por perguntar quanto beneficiou na prática e de facto a Guiné-Bissau com o tão propalado quanto inconsequente aparato montado por Domingos Simões Pereira a volta da mesa redonda?

A resposta é: Zero! Nada! Apenas Promessas! Em 2017 deveriam começar a chegar as primeiras verbas, sob condições que a partida todos estavam perfeitamente cientes de que não estavam reunidas, e tão pouco haviam preceptivas realistas de virem a estar satisfeitas para que se efetivassem as respetivas transferências.

Muitos dos doadores já sabiam dos desvios programáticos e corrupção no seio do governo, assim como da inevitabilidade da queda de Domingos Simões Pereira. Este é o retrato fiel daquilo a que o guineense se habituou a ouvir chamar de projecto Terra Ranka!

Terra Ranka é uma embalagem atraente, mas sem conteúdo.


A Visita do Rei

Uma “operação” a imagem daquilo que é a presidência da república: Pragmatismo na política externa, com justiça e exigência na execução interna.

O período que mediou a chegada e partida do rei de Marrocos, redundou em benefícios como nunca antes vistos para a Guiné-Bissau desde a saída dos cooperantes Suecos. Nunca é demais enumerar o vasto leque de benefícios nos sectores da educação, formação, renovação da frota do estado, infraestruturas públicas e habitação social. Mas a cereja no topo do bolo, foi a actuação dos médicos que vieram com o Rei, homens e mulheres que operaram autênticos milagres junto da população mais carenciada e desfavorecida.


A Cimeira Índia-África

A recente participação de Sua Excelência o Presidente da República Dr. José Mário Vaz na cimeira Índia-África, traduziu-se mais uma vez em ganhos incalculáveis para a Guiné-Bissau.

O país obteve de imediato e sem qualquer condição impossível de satisfazer, mais de 250 milhões de euros.

No sector da agricultura e desenvolvimento rural, ninguém consegue antever o impacto da distribuição de mais de 700 tractores e máquinas agrícolas. Não só estaremos em condições de atingir a auto suficiência alimentar, como poderemos pensar na exportação se o governo quiser e souber fazer a sua parte.

A educação e formação profissional foram igualmente acautelados, os nossos jovens que não têm meios para se deslocar ao estrangeiro, poderão finalmente beneficiar de formação profissional imediata para entrar no mercado de trabalho com as consequentes repercussões positivas na economia familiar.


O mundo começa a notar um padrão no projecto Mon Na Lama. 
As suas acções traduzem-se em resultados IMEDIATOS, POSITIVOS, E COM IMPACTO A LONGO PRAZO.


POVO DI  GUINÉ, NÓ MITI MON NA LAMA PORQUE TERRA NKADJA

Sem comentários:

Enviar um comentário