OGIVA NUCLEAR

sábado, 31 de maio de 2014

ANONIMO

SE O AMIGO DOKA PODESSE PUBLICAR ESTA MINHA OPINIAOEU 
AGRADECERIA.

Eu acredito no seu trabalho investigativo. 
Esta a ter e vai continuar a ter um grande impacto positivono que diz   respeito a luta contra os crimes violentos (assassinatos e espancamentos)crimes de corrupcaoabuso de poderimpunidadee muitos outros crimes na nossa sociedade.

Eu tenho a certeza absolutaque os guineenses sabemalguem na linha da frenteariscando a sua vidapara salvar nosso povode tanto sofrimento durante decadas, é DOKA INTERNACIONAL!

E evidente que Doka vai ter mais inimigosmas é claro que terá maioria do povo guineense do seu lado. 
So que esse apoio do povo sera sempre em silencio.

Qualquer pessoa que nao esteja a ser atingido pelo seu T.Investigativo de 
forma directa ou indirectasabe que a sua intensao é boae é para salvar a Guinetrazer a pazdiminuir sofrimento nos "corações "dos queas 
familias foram assassinadas.

Eu li comentario de um irmao que diz : 
"voce deve ponderar lhe acusa de poder trazer a guerra" 
Nao! 
Ele sabe que nao!

"Denunciar os males acabam com a tensao socialcombate os crimes e 
evita confrontos."
"So a verdade nos salvara"

Quem o tinha dito : o nosso Bispo e pai Don Settinio F.

Dokaestas no caminho certo na sua luta pela "verdade!"

Os teus inimigos estao errados
Mas um dia reconhecerao.
Deus esta do teu lado e lhe protegerá.
Força irmão! Vencerás.
Um grade abraço para todos os avantes da Paz
A história que se segue, realça a cúmplicidade de um crime horrendo, de um homem assássinado a sangue frio, uma familia destroçada sem o direito a verdade.
Cúmplicidade de 3 homens, um trio perigoso e dessimulado. Afinal de contas, que são na realidade Zeca Lima, João Alexandre Forbes e Bikanzil Namback??

Héis a história completa do que passei com estes 3 cúmplices do assássinato de Nicandro Pereira Barreto?   E logo depois vem a entrevista completa com os protagonistas em video.

Eu Doka, sou ódiado por muitos e amado por poucos.
Muita gente na Guiné Bissau, usam o termo: " Djubi..., bó afasta déss..., i mufunado i dipuss i ta afugenta pecadur..., i mais a mais i sta ligado a militares "....., mas longe de mim tudo isso € que no fim de tudo, este ou aquele me vem a dizer tudo o que foi dito ou inventado acerca da minha pessoa.

Primeiramente, eu Doka, para aqueles me conhecem perfeitamente, sabem que eu não sou do tipo que ao encontro do confronto..., mas se ela vier, eu a confronto da forma que vier ou aparecer.  Vou fazendo o meu trabalho, procuro mostrar tudo o que é ou o que está podre a fim de esclarecermos as coisas.  Claro que a verdade muitas das vezes ´doi, mas ela tem que ser dita e mostrada.  Esse é o meu trabalho, e essa é a minha luta em memória de todas as vitimas assássinadas, espancadas, torturadas, desprezadas, etc.  É claro que sinto medo do meu trabalho, sinto receio, nunca durmo no mesmo sitio em Bissau durante duas noites, enfim, são obras do oficio.  E se um dia eu vier a morrer ou a ser morto, então saberei que valeu a pena a minha LUTA- A VERDADE.

Nicandro Barreto, eu nunca o conheci, nunca o vi, nunca falamos, visto que em quanto em vida, eu Doka estava estudando em Cuba.  Mas uma coisa mexeu comigo acerca da sua morte, álias acerca do seu assássinato.

Quando abordei a Zeca Lima, ele me disse vem ter comigo na Interpól que fica na zona de meteórologia

Cliquem neste link, para aqueles que nunca souberam ou não conhecem Nuno Gomes Nabiam, um trabalho feito por mim. Doka.
Se hoje não houve banho de sangue na Guiné Bissau, foi graças a ele.
Apenas o podemos agradecer e dizer que valeu a pena o seu reconhecimento.
Nuno Gomes Nabiam, defendeu ao seu povo e a todos guineenses ao mais alto nivél.
Nós que sabiamos no fundo o que se passava naquela noite, estivemos incansvéis e em contactos constantemente.  O nosso desespero era de mostrarmos a desvantagem de mais derrames de sangue e o desespero de um povo.  Naquela noite em Bissau, tudo estava morto e ninguém circulava.
Obrigado Nuno, e obrigado a todos aqueles que deram e participaram nos bons conselhos.
Um obrigado ao Dr. Armando Mango, Dr. Juliano Fernandes, a Sra. Korumba Djaló, Alfredo Malú, ao jornalista João de Barros, ex ministro do PRS Fernando Gomes, Chefe do Estado Maior António Indjai, enfim a toda vasta e verdadeira equipa que permitiram o melhor para todos.
Nós estavamos dentro de tudo e sabiamos o que estava para vir.
Bastava o não reconhecimento dos resultados por parte de Nuno.
Mas o amor falou mais alto e os interesses do povo estavam em primeiro lugar.
Nuno Baixou a guarda e defendeu o seu povo, aceitando a derrota que todos nós sabemos que foi falsificado. 

http://youtu.be/eUos4moYUos

sexta-feira, 30 de maio de 2014

IMPOSTOR JOSÉ MÁRIO VAZ

Antigo membro de governo de Carlos Gomes Jr., derrubado no golpe de Estado de 12 de Abril de 2012, que no exilo agrediu e agride com ódio as nossas Forças Armadas; joguete da CPLP (Portugal, Angola e Cabo Verde) e instrumento facilitador de mercado para as empresas GALP e SONANGOL; alvo de boatos publicados pela Jeune Afrique de que seria um próximo dos guerrilheiros do MFDC, vem, segundo noticiou PNN no dia 28 de Maio, justificar a sua deslocação ao Senegal, dizendo: «Nós decidimos fazer esta visita de cortesia para também informar os países amigos e irmãos da Guiné-Bissau que acabámos de ser eleitos na Presidência da República e o que desejamos é mesmo criar um clima de entendimento entre nós». 

Ah é? Quem fala assim não é gago! Afinal, é necessário um clima de entendimento, porque ele (o clima) não existe, não é verdade? 

Anónimo

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Quem anda em atalhos, sempre arranja trabalhos

O nosso povo, estará para sempre destinado ao sofrimento, a nossa juventude será sempre uma juventude apagada por falta de luz, os nossos filhos irao sempre estar desamparados e perdidos, os nossos pais abandonados cada qual a sua sorte.

Quando alguém tenta falar da verdade e mostrar quem é o verdadeiro criminoso na Guiné Bissau, a pessoa acaba por ganhar inimigos daqueles que ele mesmo nunca conheceu ou com quem nunca falou.  Julgamos as pessoas erradamente e de uma forma injusta.   Eu Doka irei sempre defender o lado da verdade, procurarei sempre mostrar o lado negro daqueles que querem aparentar o errado.  Pois nunca é tarde para mudar.  Basta pedirmos desculpas a quem do direito, e acreditem que viveriamos melhor com isso.

Ganhei inimigos em muitas frentes, mas ainda continúo respirando e fazendo o meu trabalho.  Fiz com que muitas vózes se levantassem em defesa dos seus direitos e sem medo...., e muitos me seguiram.

Hoje o guineense vive no medo e no receio devido a falta de justica e da verdade.

Procurarei sempre mostrar o lado certo, o lado da verdade e o lado dos que vivem em siléncio e no sofrimento.

Pois desta forma, durante a minha estadía em Guiné Bissau, foi criado um movimento:

" BAMBARAN, DE UM POVO UNIDO ( Movimento de Luta Pela Verdade ".

Para os que nao sabem, de uma forma rápida e simples..., Bambaran, significa PROTECCAO.

Um movimento que vai lutar pela verdade, e que vai desafiar a muita gente e mostrar aos guineenses muitas verdades escondidas.

Formado por filhos, pais, familiares e amigos intimos de muitas vitimas.

Muitos familiares se aliaram ao MOVIMENTO, e vamos atacar em vários campos..., JUSTICA, EDUCACAO SAÚDE..., enfim, coisas sérias e delicadas.

Vamos mostrar o que significa a VERDADE e a CORAGEM.

Por outro lado, preparem- se, porque vem aí o seguimento do trabalho investigativo.   
Zeca Lima, mentiu em muitas coisas, chamou os nomes de Bikanzil Namback e Joao Alexandre Forbes no assássinato de Nicandro Pereira Barreto.

Vamos ver e ouvir o que foi que ele disse, e como os outros se esquivaram e mentiram.

Dentro destes dias, o caso Nicandro Barreto.

Próximo artigo irei explicar o que se passou entre eu e eles, os 3 cúmplices na morte de Nicandro.
Porque quem esconde a verdade e oculta informacoes ao mundo, é cúmplice.

Preparem- se porque é triste.

O LUGAR DO MORTO…, por Doka Internacional


O Governo de Transição na Guiné-Bissau, sai de cena com a firme sensação de missão cumprida com honra e dignidade. Ramos-Horta e a CPLP alcançaram a obsessão de retorno a ordem constitucional no país, legitimando pelo “voto roubado” o PAIGC. A dupla que se segue é constituída por José Mário Vaz, Presidente da República e Domingos Simões Pereira, Primeiro-ministro. Conta-se que os dois "cadogistas" convictos estariam implicados - cada um no seu jeito  - nos duplos assassinatos ocorridos a 1 e 2 de Março de 2009. E que Nino Vieira terá amaldiçoado “o lugar”, tendo rogando praga a todo aquele que estivesse implicado, direta ou indiretamente, no seu assassinato, por definhamento até a morte ou por apeamento do cargo.

Apresentei-vos a lista de pratos disponíveis para escolha de refeição.

Obs:
Domingos S Pereira, o que vem para ti, vai ser algo muito dificil.  Tens uma grande batalha pela frente e tu sabes qual vai ser.
Protege o teu povo ao máximo que poderes.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Finalmente, depois de 4 meses, estou de regresso a Inglaterra- Manchester, junto da minha familia.
A coisa foi dificil e stressante, mas valeu a pena tudo na guine bissau.

Agora vem a fase seguinte.
Continuacao do trabalho investigativo, preparem- se para verem e ouvirem as mentiras em torno do assassinato de Nicandro Pereira Barreto.
Vem muita coisa quente e polemica.

CPLP IRRACIONAL NA GUINÉ-BISSAU


Na análise dos fatos, se por uma lado o emprego da razão é a representação dos objetos segundo as qualidades primárias ou racionais ( do latim rationem), pelo outro, e em oposição, o emprego da imaginação é representar os objetos secundários, aqueles que são dados pelos sentidos (paixões). Para, então, separar as águas, a ONU, segundo as qualidades primárias ou racionais,  definiu a soberania como o direito de um país se autogovernar, tomar suas escolhas sem intervenção externa. A Carta das Nações Unidas, no Capítulo 1, Art. 1.º define como objetivo:  "Desenvolver relações amistosas entre as nações, baseadas no respeito do princípio da igualdade de direitos e autodeterminação dos povos, e tomar outras medidas apropriadas para reforçar a paz universal". Afirma ainda no mesmo artigo, o seguinte: "Todos os povos têm o direito de autodeterminação. Em virtude desse direito, determinam livremente sua condição política e perseguem livremente seu desenvolvimento econômico, social e cultural".

Ora, o golpe de Estado de 12 de Abril de 2012, na Guiné-Bissau, terá sido encarado pelos países da CPLP, contrariamente aos da CEDEAO, Timor-Leste, e outros, como se tivesse ocorrido uma catástrofe humanitária que motivasse a mudança significativa na comunidade internacional em relação à limitação do poder soberano do Estado guineense dentro do seu território.  A irracionalidade da CPLP, sobretudo dos países como Portugal, Angola e Cabo Verde, está explicada na resposta do antigo Primeiro-ministro timorense, Mari Alkatiri. Segundo a notícia da Lusa (27 de Maio), Alkatiri contou que o apoio de Timor-Leste à Guiné-Bissau, após o golpe de Estado de 2012, foi decidido contra a vontade da CPLP. E critica, com razão, dizendo: “Um dirigente de outro país disse que não devíamos ter feito isso porque o governo era ilegítimo. Respondi que a comunidade era de países e não de governos”.

terça-feira, 27 de maio de 2014

Retoma de ligações aéreas a Bissau em avaliação

Retoma de ligações aéreas a Bissau em avaliação

  • Share
Portugal vai contactar as novas autoridades da Guiné-Bissau a fim de verificar se estão reunidas as condições de segurança para retomar os voos entre Lisboa e Bissau, anunciou hoje o ministro dos Negócios Estrangeiros no parlamento.
«Iremos iniciar os contactos com as novas autoridades guineenses logo que estas sejam empossadas. Teremos de verificar se estão asseguradas as condições de segurança no aeroporto de Bissau, para que episódios como o de 10 de dezembro não voltem a ocorrer», afirmou o ministro Rui Machete, durante uma audição na comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades.

Os voos da TAP entre as capitais dos dois países foram interrompidos depois do embarque forçado de passageiros ilegais, em Bissau.
«As autoridades de facto nunca nos deram tais garantias», referiu o governante, que acrescentou que uma vez asseguradas as condições de segurança, «caberá depois às companhias a decisão de operar a rota».
Neste caso, a TAP «terá depois de analisar e ponderar as necessárias questões operacionais».
A Guiné-Bissau terminou domingo passado um ciclo eleitoral em que foram indicados um novo Governo e um novo Presidente da República, depois de dois anos de um executivo de transição, na sequência de um golpe de Estado militar.
O ministro reiterou que as eleições foram «um sucesso, perante as difíceis circunstâncias em que se realizaram».
«A vitória do partido derrubado pelo golpe de Estado de 2012 demonstra o claro repúdio da população relativamente ao golpe, aos seus objetivos e aos seus autores. E a exígua votação alcançada pelos representantes das autoridades de transição confirma o que Portugal, a União Europeia e a CLPL [Comunidade dos Países de Língua Portuguesa] sempre afirmaram sobre a sua falta de representatividade e legitimidade».
Para Rui Machete, as eleições marcam «um definitivo virar de página na instabilidade crónica» dos últimos anos em Bissau.
O chefe da diplomacia portuguesa defendeu que Portugal e a União Europeia «confirmarão o seu papel tradicional de principais parceiros da Guiné-Bissau, apoiando técnica e financeiramente a implementação das reformas», que deverão visar a segurança, o reforço do Estado de Direito e combate à impunidade e a reforma da administração.
BODE EXPIATÓRIO DO PAIGC


Ter “sentido de Estado” significa ter uma visão não apenas em função da espectativa do cidadão, enquanto membro da comunidade política,  ver seus interesses individuais, particulares ou corporativos salvaguardados, mas também em função daquilo que lhe parece ser melhor para “o todo nacional”, acima de tudo, um dever que configura uma visão humanista de toda comunidade política nacional.

Ora, “sentido de Estado” sendo uma virtude do ser humano em sociedade,  presume-se que não seja um predicado característico a certos indivíduos ou grupos. Na nossa terra o “vigor pátrio” parece ter ganho outro matiz. Na nossa terra parece vigorar a distinção entre filhos legítimos e bastardos. Os militantes e líderes políticos do PAIGC parecem ser os únicos dotados da ideia de vigor coletivo. E que o resto seriam apenas dramas étnicos e tribais. Parece até um país a “domesticar”. 
Como se não vivêssemos em África e que fossemos todos descendentes de Afonso Henriques que se revoltou contra a sua própria mãe, D. Teresa, derrubando-a na batalha de São Mamede, em Guimarães.

Há, na minha terra, um provérbio em crioulo que, traduzido, diz: “sempre que o macaco não alcança a farroba diz que não presta”. Encaixa-se bem na astúcia do PAIGC,  que sempre que perca o controle do poder político (e militar), lança-se na procura de bode expiatório para lhe atirar com anátema de divisionismo  tribalista. 

Engendrou rumores, tentando fomentar discórdia no sei do nosso povo no tempo do Presidente Kumba Yala. Quando Zamora Induta foi destituído do cargo de CEMGFA o governo de Cadogo Jr. Chamou as forças angolanas para “destribalizar” o nosso exercito. 

Com o derrube do mesmo, a ala cadogista protagonizou uma campanha xenófoba e de incitação ao ódio contra os balantas, e que, felizmente, só teve eco em meios “saudosistas”, dos que sempre olharam para o continente africano à sua imagem e semelhança. 

O drama e intimidação tribalista tem sido, também, o mote da campanha do PAIGC, nesta campanha eleitoral, como forma de justificar os seus quarenta anos de desgovernação do nosso país. Ramos-Horta e Companhia Lda., ter-se-ão servido do embuste para se interferir, direta e indiretamente, no processo eleitoral, para, em detrimento do candidato Nuno Gomes Nabiam, favorecer, fraudulentamente e entregar a vitória a José Mário Vaz, como se o seu joguete não tivesse também origem étnica. 

segunda-feira, 26 de maio de 2014

“MATEMÁTICA DE BOÉ…”

Chamem-me o nome que quiserem, mas o meu Presidente da República é o Eng.º Nuno Gomes Nabiam!

Regista-se enorme défice de urbanidade diplomática de certos dirigentes dos países da CPLP. Perfilam figuras como Ramos-Horta, Cavaco Silva, José Eduardo dos Santos e José Maria das Neves. Sem neutralidade e imparcialidade exigidas por lei tiveram a ousadia de intervir, direta ou indiretamente, de forma à favorecer o candidato José Mário Vaz em detrimento do seu concorrente, Nuno Gomes Nabiam. É obvio que os ilícitos eleitorais abundam! A começar pelas insistentes pressões (via telefone) de Cavaco Silva a CNE, à favor do candidato, José Mário Vaz, às ligeirezas de aplausos e felicitações enviados por alguns chefes de Estado ao arguido e usurpador de votos, José Mário Vaz.

Chamem-me o nome que quiserem, mas o meu Presidente da República é o Eng.º Nuno Gomes Nabiam!

Que lição de democracia o mundo pretende transmitir-nos quando se aplaudem resultados eleitorais, como estes, na Guiné-Bissau, publicados pela CNE: total de voto: 585.433; voto nulo: 7.654; voto em branco: 10.025 ;voto de José Mário Vaz; 364.394; voto de Nuno Gomes Nabiam: 224. 099. Somados dão: 606.172. Subtraindo 585.433 (total inicial) dos  606.172, a diferença é de 20.739 votos a mais. Por que não declará-las nulas e fraudulentas? Ou, então, não sabem fazer as contas de somar e de subtração?


Juro por minha honra que não me renderei nunca ao Presidente arguido, corrupto e usurpador de votos, José Mário Vaz!
Pedido de desculpa por parte do Sr. Insali.
Mostrou Humildade.

O meu pedido de desculpa publicamente ao dr. Rui correia landim analista politico da Guiné-Bissau :
Esse pedido de desculpa ao dr.Rui landim, vem ao propósito do meu comentário acerca de um artigo de autoria de dr. Rui, publicado no blog de progresso nacional sobre a impugnação dos resultados das eleições da 2º volta das presidências da parte do candidato Nuno Gomes Nabian.
 
Caro ilustre dr. Rui, através do blog de Doka, venho por este meio pedir imensas desculpas no fundo do meu coração a ti, e os teus familiares, por ter ferido a tua susceptibilidade, e a tua honorabilidade.
Houve excesso na minha linguagem, e cometi certos equívocos de o  ter magoado.
Também digo não sou nenhuma pessoa perfeita, tenho os meus defeitos e virtudes. Dr. Rui é com os erros que eu aprendo e depois tenho a corrigir para poder tirar certas ilações para o futuro.
 
Dr. Rui tens toda razão desse mundo de ficar irritado comigo por ter eu cometido tal equivoco que ferem a tua dignidade pessoal que poderão ou não ser imputadas de intenção.
 
Olhando para os meus comentários pensei e reflecti, constatei que errei, utilizei adjectivos inapropriados que não coaduna com o meu principio ético.
Espero que aceite o meu pedido de desculpas.
Bissau, 25 maio 2014
Um grande abraço mano Doka.

domingo, 25 de maio de 2014

O MEU PRESIDENTE É NUNO GOMES NABIAM

Segundo várias fontes que pediram anonimato à Comissão Nacional das Eleições da Guiné-Bissau, foi varias vezes telefonada por um alto dirigente português que pedia para que CNE, anunciasse os resultados eleitorais à favor do seu candidato preferido José Mário Vaz, tarde ou cedo a verdade virá ao de cima. O próprio candidato apoiado pelo libertadores tem consciência e sabe bem que não foi o justo vencedor. Por isso, à comissão nacional das eleições, fizeram as contas mal feitas e com pressa.

Como podem constatar. totais do votos: 585.433

votos nulos: 7.654

votos em brancos: 10.025

votos de jomav:364.394

votos de nuno: 224. 099

Somando esses votos obteremos: 606.172

E, gostaria saber aonde vieram os 20.739 votos a mais?

Deixo a quem de direito que responda essa pergunta, estou a falar da CNE!

É bom saber que num jogo de futebol justo vencedor é aquele que ganha sem influência de juiz da partida e, ganha com consciência tranquila mas se ganhar com ajuda de juiz, não dorme tranquilamente! Um dia havemos de saber quem foi que telefonou a pressionar o resultado. O juízo de Deus tarda mais não demora!

VIVA NUNO GOMES NABIAM!
Comentário de Duarte Insali.
Djugudé (em criolo) - ave de rapina diurna. 

Género de abutre muito frequente na Guiné-Bissau, nas árvores ou grandes arbustos.
Carnívoro de bico adunco e unhas fortes, atinge normalmente mais de 1m, de envergadura. 


Cabeça e pescoço nus e coloridos, alimenta-se principalmente de restos e matérias orgânicas em decomposição.

O djugudé de analista politico Rui correia landim, não sabe que qualquer candidato, a qualquer eleições presidências, legislativas, associativas tem o seu pleno direito de contestar ou impugnar qualquer resultado saído nas urnas. 


Desde que as eleições não são livres, justas e transparentes, essas contestações é feito sempre junto das instâncias judiciais.

O djugudé de Rui landim, esqueceu-se que quando um aluno ou aluna não concorda com as notas que foi dado pelo professor, e fixado na pauta, tem o direito de reclamar junto do conselho directivo da escola, afim do professor fazer a revisão das provas. 


Isto também acontece no futebol, quando uma equipa é prejudicado tem o seu direito de reclamar. 

Mas não é assim que o djugudé Rui landim pensa sobre o candidato eng. Nuno Gomes Nabian, quer dizer o eng. Nuno Gomes Nabian devia aceitar o resultado fabricado.

Eu percebo muito bem a ideia de djugudé Rui landim já está a engranjar para conseguir o lugar o lugar como ministro, secretario estado, ou director geral junto do 1º ministro ou do presidente da republica.


O djugudé Rui landim é um caso patológico : critica tudo, mas não dá uma única pista que nos leve a perceber como pensa fazer o verdadeiro melhor, tem sempre ideias perniciosas.


O verdadeiro poder é o poder das ideias Sr. djugudé Rui landim, porque o poder sem ideias é um vazio de poder de poder, ou seja, não é poder algum porque lhe falta toda a legitimidade e quanto muito, apenas terá "legalidade" de uma nomeação de cargos públicos e privados.


O que distingue o eng. Nuno Gomes Nabian e o djugudé Rui landim é que o eng. Nuno Gomes Nabian sabe muito bem que na democracia as ideias são fundamentais e são elas que devem ser debatidas e combatidas, como dizia Sto. 

Agostinho, " devem-se combater ideias e não pessoas.
Porquê que o djugudê Rui landim não tem ideais ?

Aí começa o drama pois terão de adoptar as ideias alheias. 
FUTURO SOMBRIO…


Não houve  “kambansa”!  E a questão não se trata de escrutinar  aspetos físicos dos proponentes ao cargo ora colocados à frente dos destinos do nosso país por serem jovens ou velhos, não, não é isso que está em jogo! A preocupação maior tem a ver com a mentalidade de “Guiné mindjor” hoje dominante no PAIGC. 

A engenharia eleitoral timorense veio ajudar na implantação dessa mentalidade arcaica no nosso país. Com esta dupla no poder, retrocedemo-nos no tempo. Regressamos aos tempos do partido único, com a nuance de “inclusão”, só para o inglês ver! 

O objetivo maior do “guisado” de Ramos-Horta, não consiste, de todo, em criar condições democráticas que permitam o exercício do “contraditório”, como acontece em alguns países democráticos do mundo, mas proporcionar, isso sim, um ambiente político “abafadiço” e de terror que permita e facilite (como em Angola) a exploração e escoamentos futuros das nossas matérias-primas para a Europa e o mundo. Não esquecer que o frenesi da CPLP visa garantir o mercado a GALP e a SONANGOL.

As batotas eleitorais legitimadas pela dita “comunidade internacional” constituem a fonte da discórdia política e causa inspiradora de regimes repressivos nas nossas terras de Africa. 

Foi um roubo descarado e escandaloso que passará a considerar-se “legitimo voto do povo”! Retiraram o poder ao Nuno Gomes Nabiam e entregaram ao José Mário Vaz. Nuno G. Nabiam, na sua declaração de ontem, dia 22 de Maio, disse que houve “roubo de votos” e que os números anunciados pela CNE, na terça-feira, dia 20 de Maio, não coincidem com os que foram recolhidos e registados na Acta Síntese obtida pela sua direção de campanha. 

E depois disse “ainda assim, em nome da “paz e estabilidade” os resultados divulgados devem ser proclamados”. Portanto, o povo bebeu agua mas sem “matar a sede”! E quando isso acontece a um tigre não há poder no mundo que o possa deter. Por isso, concluiu Nabiam: “não vou estar de boca calada”.  Não é por acaso que Nuno se considera um homem limpo. Porque o seu concorrente, José Mário Vaz, não beneficia, de longe, destes predicados. 

O mesmo não passa de um corrupto fundido e malhado pelo regime de Nino Vieira. Empresário que nunca pagou imposto ao Estado da Guiné-Bissau. Arguido, com fundadas suspeitas de ter desviado  12 milhões de dólares, do tesouro público. Pai que diz desconhecer de que o filho seja empresário com alvará de exportação de madeira. Membro de um governo (de Cadogo Jr.) suspeito no assassinato de figuras políticas destacadas do nosso Estado. Que dignidade a figura de José Mário Vaz pode trazer para o cargo de Alto magistrado da nação?

Garanto-vos que não haverá “estado de graça” para os novos inquilinos…

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Em nome da paz e da estabilidade e o bem estar do povo que Nuno Gomes Nabiam tanto ama e respeita, Nuno Abdicou de tudo, porque não quer e nem nunca vai querer o sofrimento do seu povo amado.

Nuno Gomes Nabiam humildemente como sempre foi, decide pelo bem estar de todos reconhecer os resultados.

Nuno tinha tudo nas mãos para que hoje guiné Bissau acordasse sobressaltado e tenso. Mas pelo bem de todos, por respeito de muitos VERDADEIROS AMIGOS, seguiu o conselho de aceitar os resultados. 

Agora todos juntos, vamos trabalhar em defesa deste povo e dos seus interesses.

Um obrigado especial a todos que de uma forma muito serena, contribuíram para este desfecho.
Muitas das vezes a derrota, é preciso quando lutamos por uma verdadeira causa e mais quando os interesses do povo fala mais alto.

Obrigado Nuno.
Obrigado Guiné Bissau.

Estou de regresso a Inglaterra.

E recordar que temos homens capazes de levar a Guuiné Bissau para frente..., e entre eles estão FRANCISCO FADUL e o Próprio Nuno Nabiam.

Que a Paz e a felicidade nos acompanhe neste novo CICLO.

Amén.
VIGARISTA CHAMADO RAMOS-HORTA

Ontem, dia 21 de Maio, por volta das 15 horas locais, a cede da diretoria da campanha do candidato Nuno Gomes Nabiam, foi praticamente tomada de assalto pela invasão e incursão do corpo diplomático, ou não, dos países europeus acreditados no nosso país, alegadamente, para a assistir a Conferencia de Imprensa marcada para essa altura, mas que por razões que desconhecemos ficou adiada para hoje, dia 21 às 17 horas. 

Todos sabemos que O PAIGC, mesmo levado ao colo por Ramos-Horta perdeu estas eleições. 

Foi apanhado com a boca na botija. Existem provas contundentes e irrefutáveis que invalidam esta batota eleitoral, como bem argumenta Joaquim Baldé. A tal incursão de ontem visava tão-somente persuadir Nuno G. Nabiam a aceitar a batota eleitoral perpetrada por Ramos-Horta e a sua CNE-timorence. 

Sabe-se inclusivamente que, o Presidente de Portugal, Cavaco e Silva - atarantado com a eminente anuncio da vitória de Nuno G. Nabiam - terá pressionado, via telefone, a CNE para divulgação dos resultados à favor do candidato da sua preferência, José Mário Vaz. Todos sabemos esses engodos são a fonte das discórdias e golpes de Estado futuros.

Pelo povo, pátria, ou morte! 
ALEGRIA FÚNEBRE…


Sempre chamamos atenção que depois da votação ordeira dos eleitores à segunda e a derradeira fase de votos atribuídos na “secretaria”. Nestas eleições quem comandou e engendrou os valores na “secretaria” tem nome: Ramos-Horta. 

Mais uma vez, conseguiu dar volta a tudo e a todos para colocar o seu afilhado no poder, o arguido-candidato José Mário Vaz. Sabe-se que ontem, dia 20 de Maio, o ambiente estava tenso, correria por todo lado. O Presidente de Transição, Manuel Serifo Nhamadjo, convocou as duas candidaturas para uma reunião, na presidência, com a presença do corpo diplomático acreditado no país. Instantes depois, sabe-se que o Presidente da CNE, ao aproximar da hora da leitura dos resultados fugiu para a representação da União Europeia em Bissau. 

De repente, aparece Ramos-Horta que o retira do refúgio entregando-lhe a batota engendrada no seu gabinete para ser anunciada aos quatro ventos. Mama mia! O dito-cujo devia ser também promovido a premio nobel por, desta forma, contribuir para perigar a paz e a estabilidade na Guiné-Bissau.

Vamos todos gritar pela transparência às portas da CNE e do STJ
Abaixo Ramos-Horta!