OGIVA NUCLEAR

terça-feira, 29 de abril de 2014

ENGODO DE PEDRO PIRES…

Quem escuta o apelo ao voto no gatuno-candidato, José Mário Vaz, lançado, à parir de Cabo Verde, por Pedro Pires, apercebe-se logo do desespero dos “spinolistas”, dos que estavam contra a independência total das colónias, os autores da tentativa de golpe de Estado de direita do 11 de Março de 1975, em Portugal. 

Pedro Pires se revê hoje nessa corrente anticabralista, protagonizada por Alpoim Calvão e Companhia L.da. Também é fácil perceber que nunca foi um comandante fundido e malhado  na frente de fogo. 

Não passava de simples armazenista em Kandiafara, onde era conhecido como violador de mulheres. Deixou lá uma filha que não chegou a reconhecer e que, hoje, se tornou mulher e mãe. Por isso, não vale a pena tomarmos  a serio as baboseiras deste comandante estupro. Com o golpe de Estado que destituiu Luís Cabral, chefiou a ala cabo-verdiana do PAIGC que se cindiu, formando um novo partido, o PAICV. Agora com o assassinato de Nino Vieira, onde também é visto como um dos autores morais do crime, convenceu-se de que o mato está amansado de seus inimigos jurados, por isso se vem lançando o seu versejo esdrúxula na aventura de se retornar ao PAIGC.  Objetivo: fazer o seu papel de sempre que é o de servir de capataz dos tugas da CPLP, para arrastar o neocolonialismo o terror para a nossa terra. 

 

A REPRESENTAÇÃO DO PRS EM LISBOA CONVIDA TODOS OS GUINEENSES, AMIGOS E FAMILIARES A PARTICIPAREM NA MISSA DO 7º DIA PELA ALMA DO EX-PRESIDENTE DR. KOUMBA YALÁ QUE TERÁ LUGAR NA IGREJA DO CAMPO GRANDE Nº 246-LISBOA NO PRÓXIMO DIA 3 DE MAIO ÀS 12H15
A IGREJA FICA SITUADA ENTRE A AV. DO BRASIL E CAMPO GRANDE

A IGREJA PERTENCE A PARÓQUIA DOS SANTOS REIS MAGOS DO CAMPO GRANDE (FREGUESIA DE ALVALADE)

A DIRECÇÃO DA REPRESENTAÇÃO DO PRS EM PORTUGAL
 JOSÉ CANAS

segunda-feira, 28 de abril de 2014

domingo, 27 de Abril de 2014

Noticias de várias fontes, entretanto não confirmadas, dão conta da prisão do tenente genaral Daba Na Walna. AAS

domingo, 27 de abril de 2014

PARÓDIA ELEITORAL EM PORTUGAL, Guiné Bissau está em apuros


A acrobacia eleitoral do PAIGC em Portugal aconteceu de seguinte forma. É sabido que os seus agentes estão semeados em todas as instituições públicas nacionais e internacionais. Ponto, portanto, de partida para atacar com parcialidade todas as iniciativas nacionais. O processo de recenseamento não escapou a regra. Os delegados e responsáveis da CNE mandatados para inscrever os guineenses na diáspora em Portugal eram todos militantes do PAIGC

Para o processo de recolha havia apenas um kit. 
Em Portugal, segundo os dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, de 2011, residem cerca de 18.400 guineenses, sem contar com os que adquiriram a nacionalidade portuguesa ( cerca de 2200).  

Neste universo de potenciais votantes, os delegados da CNE apenas conseguiram recensear 3780, cerca de 20 %. Detetou-se, depois, que 90% dos inscritos no caderno eleitoral eram essencialmente militantes, simpatizantes e familiares do PAIGC. 

Resolveram adoptar a seguinte máxima: “se a montanha não vai a Mohamed, Mohamed vai a montanha”

A angariação virou “visitas domiciliárias” aos guineenses afetos a esse partido ao PAIGC, nas costas dos restantes partidos. E tudo isto passou com aquiescência e conluio de certos funcionários da Embaixada da Guiné-Bissau em Lisboa e os lacaios de Cadogo Jr., Os maestros são: Embala Fernandes (Ministro Conselheiro), Dr. Mota (Juiz) e o antigo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Djalo Pires.

Portanto, a estrondosa votação obtida pelo PAIGC e o seu candidato presidencial, José Mário Vaz, se explica, em grande medida, pela artimanha dos militantes e agentes do PAIGC e de Cadogo Jr., infiltrados na CNE. Conclusão: o escrutínio não passa de uma simples paródia eleitoral.

Deus abençoe Guiné-Bissau! 

sábado, 26 de abril de 2014

Guineenses, o PAIGC está brincando com o fogo.
A situacao actual da Guiné Bissau, toda a culpa, apenas podemos atribui- la ao paigc e a mais ninguem.
Os crimes cometidos pelo paigc, é algo medonho e estróndoso.
Algo que ninguem pode imaginar.
Muito boa tarde Mano DOKA,

Peço a publicação desta minha modestia resposta ao artogo publicado intitulado: PADRINHOS MAFIOSOS

Olha o senhor deste artigo, favor de pensar antes de escrever este tipo de analyse que não leva a nenhum sitio.

Sera que é o Sr Ramos Horta que votou em JOMAV? Deixa-me te dizer que não sou apoiante do JOMAV não. O meu candidato é sempre o Dr. Paulo Gomes que vocês não deixarem passar em detrimento do candidato Nuno. Sera que você é Deus para afirmar de que com o JOMAV na presidência é sinonimo da imoralidade e da desordem total? Bu misti oh ou bu ka misti JOMAV na ganha eleison. Ninsi bô bai nan djanfa pa Nuno pudi ganha i kana GANHA gora. Sera que com o NUNO na previdência é sinonimo de PAZ ou de desenvolvimento??? Se você e o apoiante deste homem, faça-o sem falar mal dos outros. I ka pabia kil utru na dau milhões ku manda bu na KOBA Jomav.

Ampus! Nha mantenhas

Mana Glo

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Afinal de contas o Manuel Saturnino da Costa, sempre foi um bandido e um oportunista.
Amilcar Lopes Cabral e Doka Internacional..., duas pessoas de geracao diferente..., sem se conhecerem, mas no entanto com as mesmas ideias e pontos de vista em relacao a Manuel Saturnino da Costa.

Amilcar Lopes Cabral, agarrou a Manuel Saturnino da Costa nos bracos, levantou e perante a todos os combatentes no mato ele disse:
ESTE HOMEM NAO PRESTA.

Quem tiver duvidas, que pergunte aos antigos combatentes se isso aconteceu ou nao no mato.
Cabral nunca gostou de Manuel Saturnino.

Há que ter em conta da razao pelo qual todos os que sao proximos dele, acabam por ser mortos e ele nao.
TRAIDOR.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

A UTOPIA DE RAMOS-HORTA


Ele fez tudo na “secretaria” para que seja o PAIGC a liderar o novo governo “inclusivista” na Guiné-Bissau. Muito embora reconheça a dificuldade da sua concretização, delega a responsabilidade aos guineenses de trabalhar para construir essa sua utopia, chamada “governo mais inclusivo possível”. Não se pode braquear as lógicas que movem as diferentes correntes de opinião na Guiné-Bissau. O moço de recados da CPLP, Domingos Simões Pereira,  e a oposição, por exemplo, não partilham a mesma opinião em relação a reforma no setor da defesa  e segurança. O  atual Presidente do PAIGC já lançou o aviso de que vai endireitar os militares. O outro tema fraturante será a questão do julgamento do duplo assassinato de Nino Vieira e Tagme Na Waie. A corrente de apoiantes tanto de Domingos Simões Pereira como de José Mário Vaz não se identificam com esta iniciativa.  Por isso, no nosso entender, Ramos-Horta, pode continuar a pregar no deserto, porque para que haja mesmo “inclusão política” na Guiné-Bissau, a oposição terá que assumir a pasta de vice-Primeiro-ministro do futuro governo.
PADRINHOS MAFIOSOS


A dita “Comunidade Internacional” terá que ser responsabilizada por um eventual descarrilamento deste comboio político na nossa terra. Há um provérbio que diz: “Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti”

Para eles, nós é que somos a república de todas a bandalheira! Pergunto: como é que se pode “moralizar”, pacificar uma sociedade, apadrinhado a candidatura de gatunos ao poder? Ramos-Horta fê-lo,  forma velada, em relação a “candidatura suja”, de José Mário Vaz. Figura sobre a qual impende uma gigantesca suspeição judicial por desvio de muito milhares de dólares, fato que o transformou em arguido e que alguns - como o próprio Ramos-Horta -  argumentam, dizendo ser “inocente”. Veremos se as suas “balobas”, padrinho e bajuladores o colocam na cadeira de Primeiro Magistrado da Nação Guineense. Que sinal estaremos a emitir para a sociedade com a suposta eleição do gatuno? 

Ah, já sei! Todos os candidatos assinaram o pacto de “Aceitação dos resultados eleitorais, sejam quais forem”. Conclusão: todos os mandatárias do povo deveriam abdicar-se do direito de impugnação dos resultados eleitorais, dizendo ao povo guineense que façam um simulacro de eleições para que se possa fechar este ciclo de Transição política. Asseguro-vos que a vitória do gatuno José Mário Vaz é sinónimo da imoralidade e da desordem social total.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Mais uma greve na guine bissau.
Uma greve numa nacao em que nada se faz a nao ser mentir, e enganar.
Um governo que nao consegue dar conta de recado practicamente de nada.
Um desempenho nulo cheio mentiras e falta de empenho e profissionalismo.
Mas felizmente penso que de momento, estamos ja a sair do lamassal em que os guineenses estavam vivendo.

Com muita magoa, custa- me a dizer isto

Este foi  o pior governo na historia da guine bissau.
O mais corrupto, o mais lento, o mais fingido, o que nunca teve autoridade e nunca foi respeitado por nunca ter querido se respeitar....., um governo sem ideias, sem planos, sem estrategias..., um governo que se reune todos os dias e sem resultado e sem objectividades.

Hoje, e aqui, eu Doka baixo a guarda e confesso que o governo de Manuel Saturnino da Costa, foi superior..., mas de longe a este governo.  Toda a gente esta saturada com o governo de transicao, ninguem fala bem de nenhum deles. Tudo aqui em Bissau esta parado no tempo, e o que mais predomina, adivinhem:  MENTIRA.  Apenas isso
CAROS IRMÃOS E COMPATRIOTAS

Chamo a vossa atenção pelo seguinte: chegamos ao momento esperado, fase decisiva da nossa vida enquanto povo, com história e bravura. O cata-vento, Ramos-Horta, esperava também por este momento para mostrar a sua verdadeira face: retornar o PAIGC e o seu gatuno-candidato no poder. Contudo esteja, neste preciso momento, a confeccionar cardápio para servir o nosso povo, a sua missão ficará concluída quando colocar o gatuno José Mário Vaz (JOMAV) na cadeira do poder na Guiné-Bissau. A máscara caiu! As futuras turbulências serão da inteira responsabilidade do cata-vento, Ramos-Horta, que decidiu compensar desta forma, não a Guiné-Bissau, mas sim ao PAIGC.

Deus abençoe Guiné-Bissau!  

Anonimo

segunda-feira, 21 de abril de 2014

NIN KU PENAAA…

NIN KU REMUUU…

NO RABIDA NO NA NOROSTIA KOSTAAA….





Irmãos e compatriotas,



A nossa terra está, de novo, adiada!

Esta pequena estrofe de Tino Trimó, traduzida, chama atenção do fato de que, muito embora, tenhamos as rédeas do nosso país nas mãos (a soberania), não fomos ainda capazes de levantar voo, nem de dar a largada, rumo a paz, democracia e desenvolvimento desejados. Continuamos a noroestear pela costa!



A aversão ao colonialismo, salazarismo e neocolonialismo é deveras  insanável no nosso espírito! Poi, para nós, os heróis da causa da liberdade e da independência têm que ser honrados. É isso que nos coloca em oposição aos defensores da ideia de regresso dos tugas. Eles odeiam a nós e as nossa forças armadas pela contribuição heroica dos nossos combatentes no derrube do salazarismo. Esta corrente revanchista apoderou-se da CPLP transformando-o num instrumento político de ingerência nos assuntos internos dos nossos países. O comportamento da incontinente verbal, eurodeputada Ana Gomes, a luz do dia 13 de Abril, junto a uma mesa de voto, no bairro de Chada, é prova palpável do insuperável complexo colonial dos tugas e dos seus lacaios. Vejamos: para além do fato da Lei proibir a presença de “não eleitores” junto ao local da assembleia de voto, Ela vedada, por outro lado,  qualquer propaganda dentro das assembleia de voto e fora delas até à distância de 500 metros. Ora, nesse dia, a histérica eurodeputada, não respeitou essa decisão legal! Ignorou tudo e todos, cumprindo a sua promessa de Portugal “sujar” as mãos na Guiné-Bissau, emitindo uma fedorenta declaração como sinal de apoio ao PAIGC e o seu presidente, Domingos Simões Pereira e ao larápio-candidato, José Mário Vaz, ameaçando e tentando incriminar a CEDEAO pelo apoio político ao Governo de Transição e sobre o passado recente que justamente se procurava transpor nesse ato eleitoral. O mais grave terá sido a passividade dos agentes da CNE e o “mundo” que assistiam impávidos e serenos as provocações da ordinária eurodeputada portuguesa Ana Gomes.  



Irmãos e compatriotas,



Como estava a dizer, o futuro do nosso povo está, de novo, embaraçado!



Venceram as formalidades eleitorais e a mentira!  O sentimento do povo esse foi, mais uma vez, reprimido. Ramos-Horta e Ana Gomes, podem refogar o prato como quiserem, o moço de recados da CPLP não governará na Guiné-Bissau! O mundo viu e assistiu o caudal de apoio do eleitorado ao PRS e ao Candidato independente Nuno Gomes Nabiam. É fácil tirar ilações! O  PAIGC e o seu arguido-candidato não chegaram a atingir as percentagens das votações anunciadas pela CNE. A começar pelos percursos políticos de cada um deles dentro do seu próprio partido, PAIGC. Os lugares que ocupam hoje foram comprados. Fato que contribuiu para a divisão no seio do PAIGC e do seu próprio eleitorado duranta o escrutínio. Portanto, são realidades que todos conhecemos e assistimos todos os dias que não cola com os arranjos formais da CNE para legitimar o governo do PAIGC no poder.



O moço de recados da CPLP e lacaio dos tugas, Domingos Simões Pereira e o seu gatuno-candidato, José Mário Vaz, são expressão do terrorismo,  narcotráfico e branqueamento de capitais na Guiné-Bissau.



Na Guiné-Bissau, “o povo é quem mais ordena”!
JOÃO PEDRO MARTINS E ANA GOMES NA INTRIGA DESPROVIDO DE CORROBORAÇÃO, E JUÍZO IMPROVIDO DE JUSTIÇA.

http://www.youtube.com/watch?v=tLtIjhH738k&feature=share

João Pedro Martins, jornalista da Rádio Difusão Português para África, num dos seu programas radiofônicas, que emite no período de manhã, nessa mesma instituição emissora, fez uma adaptação de texto de Ferreira de Castro. Donde o remeteu pessoalmente ao Chefe do Estado Maior das Forças Armadas (CEMFA) da Guiné-Bissau, Antônio Indjai.

Nessa mensagem, que aparenta autenticamente uma sentença de condenação,consignada pelo Joao Pedro Martins, contra o CEMFA da Guiné-Bissau, cheia de acusações francamente improvidas de alguma ocorrência para corroborá-la.
Antes, foi a eurodeputada, Ana Gomes, em acusar a CEDEAO de patrocinador de golpe do Estado de 12 de Abril 2012, na Guiné-Bissau. Ao proposito, pergunto:

Qual foi a posição da eurodeputada e do jornalista, quando a liberdade e os direitos dos guineenses estavam sendo violados com perseguições, intimidações, torturas e assassinatos, antes de 12 de Abril de 2012?

Hoje, com ânimos bastante exaltados, estão querendo comemorar a retoma da normalidade constitucional na Guiné-Bissau, entretanto, sem apoio da CEDEAO, ou melhor, se a CEDEAO tomasse a mesma posição que pretendiam, para ilibar da vossa acusação de ser patrocinador do golpe. Não teriam motivos de comemoração?

Meus caros, jornalista e deputada, graças à DEUS, pelos visto, percebe-se que o povo guineense, na sua grande maioria ou no geral, não sente mínimo regozijo e orgulho com a situação em se encontra o seu pais“no mama Guiné”. Facto comprovado recentemente, no dia 13 do corrente, quando foram chamados às urnas para exerceram os seu direitos cívicos, à proposito das eleições gerais. Apesar de tantas circunstancias que jogaram para insucesso desse processo, porém, o povo guineense, com espirito de luta, e ainda,incrementado pela sua imensa avidez de unidade, testemunharam ao mundo a sua afirmação de um povo unido e lutador para conquista da sua independência e soberania. Eu sei que esse facto,sempre incomoda os portuguesesfascistas e colonialistas, que nem o senhor jornalista e a senhora deputadaestão querendo parecer.
Entretanto, saibam que, essa grande determinação do povo guineense, pela sua liberdade e autonomia, deve-se porque, como cantou uns dos nossos músicos, Iva e Ichi, “ i no balurDEUS kudanuel, nin no kamansirkalnan” ( é a nossa serventia dado por DEUS, sem têrmo-lo pedido). Aliás, os guineenses são dignos das suas liberdades e autonomias, pois, é um privilégio venerável de todo ser humano. Pelo que, sempre os guineenses estarão dispostos a preservá-las.

Senhor jornalista, estáincriminando queo CEMFA pisou sobre outras camaradas, para se ascender à esse posto, e, outras acusações insinuadoras de ódios e conflitos, desprovidas de nenhuma prova vidente, senão a pretensão de caluniar e difamar.

Também, é patente na sua mensagem, o intento de descreditar os sacrifícios heroicos dos nossos bravos combatentes, e a tenção de subestimar os feitos de alguns combatentes, quando afirmou que o povo guineense já se esqueceu dos sacrifícios de heroísmo do CEMFA e outros combatentes, durante a luta de libertação.

Meu caro, nós, todos guineenses, estamos eternamente gratos pelos nossos combatentes da liberdade da pátria, pelos seus sacrifícios pela liberdade do nosso povo, sem descriminação de qualquer que seja contributo de cada um. Portanto, desista-se da intenção de os classificarem de forma indiscriminada.

Caro jornalista, no preciso momento, o povo guineense, indispensavelmente, espera e conta com apoios dos seus amigos, no sentido de consolidar mais a sua coesão e a sua afirmação na senda internacional, mas não as vozes que evocam fogo ou temporal para destruir a sua morança.

Não se imiscua nos problemas internas de um pais por acaso, sem se inteirar melhor da real situação, ou não intente impor a sua posição de política colonialista e fascista.
Bo tem pasensa, si bokanadjudakumpu, kabodananubambaran (se não estão a fim de ajudar em construir, não nos estraguem a família, se faz favor)!

Acha que, ainda a Guiné-Bissau é a Província Ultramarina Portuguesa?
Sei que ainda padece gravemente, das dores de cotovelo, os portugueses fascistas e colonialistas, pela derrota e humilhação sofrida na perda de Província Ultramarina de Guiné.

Ah, que dó! Pois, jamais a República da Guiné-Bissau tornará Província Ultramarina Portuguesa. Posto isso, é melhor desavezar dos anseios de ver permanentemente a Guiné-Bissau como colônia ou sob rédeas de Portugal.

Viva liberdade,
Viva independência,
Viva Guiné-Bissau,
Viva Unidade Nacional,

Un dia no kabas na sabi, nona kumetoku no limbi mon.
Velho Nael
Florianópolis 20/04/2014

sábado, 19 de abril de 2014

A Guine Bissau esta num momento de SUSPENSE..., ninguem sabe o que vai acontecer.
Traicoes, saidas por traz, mentiras.............., toda a gente quer dinheiro nem que seja para matar a sua mae ou ao seu pai.
O que lhes interessa, apenas um bom cargo no governo, etc.
A segunda volta, Nuno e Jomav, muita tinta vai correr.

Mas existe algo, esquisito que eu Doka nao estou percebendo:
Sera que o Jomav vai ter o apoio total e incondicional do PAIGC?
Sera que existe uma boa relacao entre Domingos S. Pereira e Jomav?

Recordar que a esposa de Domingos teve aquele problema e Jomav nao a perdoou.


Mas muita confusao no seio do paigc, esta gente ainda nem formou o governo e ja iniciaram as brigas.

A uns dias atras, BACIRO DJA e AUGUSTO OLIVAIS findi un utru kadera dentro di cassa garandi- Sede do paigc.

Aquilo foi um desastre.
Vamos em frente e veremos o que dali vai sair.

Nuno Gomes Nabiam, tem tudo para ganhar a segunda volta, mas agora basta saber como Nuno vai gerir a sua equipa.
Vai haver muito trabalho e muito empenho..., mas temos que ter as pessoas certas no local certo.

Doka Internacional

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Dana duris di terra

Espera-se e deseja-se que os órgãos de comunicação social reconhecidos como tal, bem como a blogosfera em geral, saibam dar continuidade ao positivismo do acto eleitoral. Informar com rigor e isenção tendo como sustento, fontes credíveis, que podem e devem ser referenciadas/citadas no apuramento (nesta fase) dos resultados provisórios das eleições. Somos todos responsáveis pelo desfecho positivo do processo eleitoral.   (Didinho 13.04.2014)

Como é possivel um blog fazer suas previsões para concluir as 15h:41 do dia 14/04/2014 que:

1- JOMAV-- 49%
2- NUNO NA BIAM-- 28%
3- PAULO GOMES-- 11%
4- ABEL INCADA-- 11%
5- AFONSO TÉ-- 1%

Faltando receber informações de Bissorã, Bigene, Mansoa e Mansabá, que nao alteram as suas previsões, depois da publicação da CNE quarta feira, dando possibilidade ao Jomav de ganhar com maioria absoluta.

Esses dados percentuais representam quanto do universo total de eleitores?

Eles foram coletadas por boca de urna ou actas sentise ou de apuramento? E se é o caso, onde esta a prova da mesma, como Aly Silva apresentou sobre senegal? E se é boca de urna quantos eleitores responderam os vossos questionarios ?

Como é possivel o Dr. Paulo Gomes que é independente apoiar Jomav, uma hora depois da vossa publicação, para posteriormente produzir uma nota de impresa, não publicado por vosso blog, pedindo a calma e serenidade aos seus apoiantes, porque os dados são encorajadores?

Se esses dados não vierem a confrmar-se, o que diram aos guineenses que humildemente e com grande patriotismo demonstraram estar acima de de qualquer adjetivos que nos foi atribuido ao longo de 40 anos da nossa existencia? Estes na ansiedade de confirmar as suas decisões na urna, buscaram informaçoes nos blogs como têm nos informado nesses dois anos de transição, e ja nos deram o vencedor.

O nosso grande musico Malamba Cissé ja tinha cantado "guineense ta iara y ta tona ripiti", mas do vosso blog nao esperavamos, pelo trabalho feito por vos.

os guineenses sempre souberam tomar as suas decisões nas urnas que os "dana duris di terra" sempre
manipulam ao seu favor. Deixem que a CNE faça seu trablho como previsto. Não queremos candidatos arranjados por serem mais faceis a ganhar no segundo turno, queremos os escolhidos pelo povo, se é o caso.

Caso queirão continuar com as vossas previsões façam-a com provas utilizando todas as variaveis de pesquisa da opinião publica, como acontece por toda parte do mundo quando se refere as eleições democraticas.

O Dr Paulo Gomes como independente sabe que não pode condicionar a idependencia dos seus apoiantes que aderiram seu projecto politico com grande patriotismo e independencia e continuaremos a sê-los até o fim desse processo.

O progresso nacional vira de trabalho e não de manupulação e mentiras.

Cordialmente,

Honorio Gomes

terça-feira, 15 de abril de 2014

AGORA, ELEIÇÕES NA SECRETARIA…

 Estamos na derradeira etapa do escrutínio: na contagem dos votos e subsequente publicação dos resultados eleitorais. Quem seguiu a campanha eleitoral na Guiné-Bissau, dos candidatos e partidos políticos, facilmente saberá a tendência de voto. 

Não restam nenhuma dúvida que o PAIGC e o seu candidato arguido não reúnem condições para levar de vencida estas eleições, logo de primeira. 

Mas, como o “mundo” gosta de baralhar as cartas consoante os seus interesses, Ana Gomes, a tal da diarreia verbal, deu o tiro de partida para a confusão, no dia 13 de Abril, junto a uma mesa do bairro de Tchada, em Bissau, dizendo: 

"Nenhuma força, nenhum elemento, nenhum indivíduo na Guiné-Bissau pode ter a pretensão de que o que quer que faça para pôr em causa os resultados eleitorais pode passar sem consequências". 

Ora, com esta declaração, o PAIGC consciente do desastre eleitoral que o espera e para que não venha a ser apanhado em contramão,  pula para ao terreiro, duas horas após o fecho das urnas a cantar vitória. 

Todos sabemos que o processo de contagem é “rudimental” e moroso. Por exemplo, num universo de mil votos a contagem e toda a burocracia inerente ao processo  pode demorar, no mínimo, quatro horas. 

E, para que não venha a ser apanhado na posição de “contestatário” e a sujeitar as consequências, como a deputada da incontinência verbal ameaçou. 

O PAIGC decidiu, então, atacar na secretaria e em duas frentes: 

na comunicação social, convencer a opinião pública de que terá sido ele e o seu candidato-arguido o vencedor e, do outro lado, no aliciamento dos responsáveis da CNE, em largos milhões de francos CFA, que segundo consta, a tentativa de suborno terá sido denunciado.

Atenção: o PAIGC já está a semear vento…
Sobrinho,
Sou um leitor assiduo do teu blog, alias a laitura e o meu melhor
passatempo. Mas, por descuido, se calhar, nunca te enviei mensagens sobre seja o que for. 

Aprecio muito o trabalho que tens vindo a levar
a cabo para esclarecer certos aspectos pouco claros sobre
acontecimentos tragicos ocorridos nesta nossa querida patria.


Quando li a simulada proposta de governo da Mme, ex-grande Ministra de
Justiça, fiquei um pouco chocado e nao pude ficar de bracos cruzados
sem alertar sobre alguns aspectos que so contribuem para manter aquele
défice de confiança entre os Guineenses.
Por isso, em jeito de contribuiçao, queria pedir-te para publicares
esta breve reacçao a dita proposta ,if you judge it necessary. I am
just trying to be myself. Eis a reacçao:

"Artigo de 11 de Abril.
Mesmo ki brincadera, ma i di mau gosto.
Se é verdade de que asumulada proposta de govermo publicada no teu
blog é da autoria daquela Madame, para quem tenho um respeito e
consisderaçao inimagináveis, entao veio confirmar-se de que, de facto,
os Mbundés, Mamadus, nao contam nesta sociedade. Signfica isto que
essas comunidades de que sao membros, nao têm quadros formados, mas
bem formados, que podem integrar um executivo, na perspectiva  da Mme
Carmelita. 


Je suis vraiment déçu, parce que je m'attendais à tout de
cette Grande Dame, sauf cette façon de voir les choses.
Isso leva-me a perguntar, sem exigir resposta, quando é que esse
complexo vai acabar? Esse complexo de pensar em termos de classe ou de
<< mandjuwandade", mas uma "mandjuwandade" descarada e deliberadamemte
discriminatória?


Seria falta de honestidade intelectual e de verticalidade, caso nao
reagisse a essa publicaçao, porque, quand même, i tchiga dja ora di no
rispita cumpanher. Es cultura de ndjuti cumpanher cu pui Guine-Bissau
na es situason.


Sera cu ami, Ibraima Sall ou Salla, cu acrescentado nome de Daniel, pa
i sedu Daniel Ibraima Salla, fidju di Canchungo, de pai Senegambiano e
de mae Guineense, suma manga delis suma mi, son porque nca cai na
graça di regimes passados pan nomeado ministro, i porque mbuu nan, nka
bali nan? Sin buru ba, na concorre na BNG na 1975, pan dipus nsai di
la mbai directanente pa USA, pai buri djiresa? Nha cumpanheris cu
cunsim di perto sibi cuma nca buru. Suma ki tem manga di Mamadus cu
Mbundés suma mi o até cu mas mi. Si pircis nta tchoma nome, ma nca na
facil pabia ami i aguin garandi, cu tene fidjus cu sonbrinhos na tudo
lado, cu ta burgunhu.
Mme, procura sedu mais djuntadur, pabia abo i lider di um partido, em
vez di bu discrimina utur.
Nca tene nin lison pa da ninguin, nin ika nha intenson, ma antes di
qualquer exercicio di es natureza, i bom pa pensa na mosaico di Guine,
pa dipus bu pul na papel. Sica sin, ita firi utur djintis. Mme gora i
pecadur di Deus, um quadro de referência cu ta orgulha tudo Guineense
honesto.


Ami i grande admirador di Mme, cu manda nca gosta di odja Mme na es
cusas cuca ta dignifica.
May God bless you!
"

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Uma alerta a todos os Guineenses.
PAIGC, está orquestrando de novo.
Estejamos atentos.  Porque aquilo que dizem, nada corresponde a verdade.

Guineenses, eu Doka sempre vou pela verdade e pelos factos, procuro sempre mostrar o outro lado da moeda, apesar que muitas das vezes isso possa magôar ou mexer com a sensibilidade de algumas pessoas.  
Vejamos estes pontos que penso que nos poderão a esclarecer algumas dúvidas.

1. Oficialmente, as urnas ontem 13 de Abril de 2014, deveriam ter um fecho por volta das 17 horas...., mas na maioria das zonas do nosso território nacional, houve fechos por volta das 19 horas..., outras por volta das das 20 e algumas até as 21 horas, é que encerraram.

Tendo isto em mente, pergunto:
Existe na Guiné Bissau alguma eficacia em termos de electricidade, recolha de dados, contagem de votos, introdução de dados, internet, transportes e por aí fora?  Porque eu Doka acho e estou seguro e convicto de que na nossa terra tudo é dificil e que não existe rapidéz e eficácia.  Pois bem, sendo assim, como poderiam as urnas terem encerrado as 17 horas, e algumas terem encerrado depois das 20 horas...., e o PAIGC logo as 18 horas e 30 minutos, terem logo posto spots públicitários em todas as rádios, anúnciando conferência de imprensa, porque estavam convictos da sua victória com a maioria absoluta nas legislativas e que também teriam ganho as presidênciais com 47%?    Terá isto algum cabimento ou sentido? Pensemos.

2. O PAIGC, convoca uma conferência de imprensa, para as 22 horas, a fim de divulgarem e anúnciarem a sua vitória...., pois bem, nesse espaço de tempo, a direção do partido recebe uma chamada telefónica de um organismo internacional altamente bem posicionado na Guiné Bissau, chamando- lhes a atenção e alertando- os acerca dessa intenção que poderia vir a prejudicar a estabilidade e percurso das eleições.    
O PAIGC, levando em conta do perigo em que se estavam a meter, alteram as horas da conferência de imprensa que estaria marcada para as 22 horas,  e a marcam uma nova, para as 23 horas..., pois bem estariam a pensar no que fazer ou dizer aos jornalistas visto que não podiam já recúar, pois toda a gente estava curioso.    
Camaradas, as 23 horas e alguns minutos depois aparece o João Bernardo Vieira- Porta vôz do PAIGC.   
Adivinhem!!!!!!!!!!!!!.........  Héis as palavras de João:

" Estamos aqui apenas para agradecer aos nossos militatntes a todos os simpatizantes do paigc, pelo esforço e confiança depósitada em nós e estamos seguros que tudo vai correr bem ".

Guineenses, uma conferência de imprensa apenas para dizer isto?   Esquisito para mim Doka.

Quando, os jornalistas começaram ou tentaram fazer perguntas, o homem apenas esquivava, levantou- se e foi- se embora.

Mas o engraçado é que o PAIGC, quer a todo o custo envenenár a opinião pública, querem a todo o custo subir ao poder, e a todo o custo desejam um ajuste de contas com certas figuras.

Bom, mas indo de lado existe uma outra coisa que deixa o paigc com medo e atôrdoado.
NUNO GOMES NABIAM.

Nuno Gomes Nabiam, é um jovem que saíu e apareceu do nada.  De repente, mostra as suas garras na esfera politica guineense..., estremece a tudo e a todos.  Pois bem, para o PAIGC, Nuno Gomes Nabiam é um alvo a abater a todo custo.
Começam a pintar e a fazer um desenho deste homem da pior forma possivél.

Nuno Gomes Nabiam, Paulo Gomes e Jomav, dividiram os votos em Bissau- Na capital.  
Neste aspecto, não restam dúvidas, e repito, DIVIDIRAM OS VOTOS.
Mas no interior, Nuno G. Nabiam, ganhou tudo o que tinha a ganhar..., leva vantagem, mas das grandes, e o paigc sabe disso e orquestrou esta montagem.

Mas, Nuno Nabiam, com muita humildade, se remete ao silêncio observando as coisas.
Ele é um homem que pondera muito, gosta de dialógar, e procura sempre uma saída vitóriosa para com as pessoas que o rodeiam.
Precisamos conhecer melhor a este homem, nós os guineeses, precisamos apostar numa pessoa que nos transmita confiança, segurança e entendimento.
E Nuno tem todos estes requisitos.

Neste projecto de Nuno G. Nabiam, lutamos pela verdade e pela união.

Vamos pela verdade, vamos pela seriedade e jamais nos deixemos enganar com o que o paigc nos diz ou faz dissimulando.

Recordem de que foram 40 de sofrimento, matanças, espancamentos, torturas, sangramentos, roubos, mentiras, etc.

Que mais podemos esperar do PAIGC.

Obs:
Existe uma situção de 200 Milhões de Francos CFA, que segundo rumôres, foram entregues, para que os resultados fossem adúlterados.
Mais esclarecimentos sobre este assunto dentro de momentos.

Doka Internacional.