OGIVA NUCLEAR

domingo, 30 de junho de 2013

AOS NOIVOS…

 

O Presidente de Transição, Manuel Serifo Nhamadjo, decretou na sexta-feira passada a data de eleições legislativas e presidenciais para 24 de Novembro. A situação parece com a marcação da data de casamento no cartório. Os “noivos e pretendentes” começam a movimentar-se. Fazem juras de amor eterno, oferecem rosas, prometem paraíso e condição de princesa às noivas. Momentos inesquecíveis na vida de uma família! Até tiram fotos para posteridade. E na hora da verdade, quando o casamento começa a azedar até cobram as despesas do alambamento, explicam a situação interna da família na vizinhança e no estrangeiro. Acusam a mulher de adúltera e de que não sabe cozinhar, etc. E se ela reclamar, ainda pode ser presa ou abatida a tiro.

 

Quando os lobos começarem a uivar, as mães abraçarão os seus filhos e recordarão sempre os momentos do noivado!


Abraços!

Héis a reaccao de NDINHO.
Presidente do Conselho de Administracao dos Portos da Guiné Bissau.
APGB.
Reagindo e procurando demonstrar e comprovar de que jamais desviou nenhum dinheiro da APGB.

Ndinho:
A uniao africana veio pa bissau pa nos dar "exemplo",  como é que  O representante da uniao africana, vai morar na casa de um traficante de droga(Silate Ture) e ainda diz  que a Guine-Bissau e um narcoestado.



Obs:
Recordar e deixar bem claro que este artigo nao é e nem faz parte da autória do Doka Internacional.   Mas sim de um cidadao guineense chamado Ndinho que me pediu apenas que o públicasse.


Sendo assim, deixo claro que este meu/ seu/ VOSSO BLOG..., é um local aberto na luta pela verdade.
Quem quiser reagir, esta a vontade.

Obrigado.
DOKA. 


Meu conterrâneo Doka 
Nunca escrevi para o seu sit., mas sou leitor ferrenho de tudo que passa no seu blog.
Hoje decidi intervir num assunto como cidadão que sou. Na verdade é um desabafo.

Acabei de ler que Botche Candé será o director de campanha de Carlos Gomes Jr., nas próximas eleições presidenciais.

Começo a pedir Botche Candé que deixe de fazer política e tente manter no comercio. Como cidadão guineense poderia dar a sua contribuição através comercio de forma mais honrosa e não vergonhosa. Mas politica não!

E quanto ao Carlos G. Jr. nós como guineense não devemos esquecer o que aconteceu recentemente. Sabemos a turbulência que eleição passada foi envolvendo Carlos Gomes Jr. Por isso a meu ver Calor Gomes Jr. e Kumbá Yala não deveriam candidatar dessa vez. Pois com certeza estamos paras assistir algo desagradável no nosso país. Eu sei que Carlos Gomes Jr. Com você não chegaremos longe. Pois a sua ambição política, não é saudável e nem ajudará a Guiné Bissau no senário internacional. Não que estou a profetizar algo negativo contra a nossa terra. Se Carlos G. Jr. vier a ser presidente do país como é que irá precidir o país? Já que o relacionamento dele está hostil com várias pessoas, políticos e militares?
Carlos Gomes e Botche Candé deixem outros filhos da Guiné Bissau fazer política no país. Por favor! Não tragam tumultuo de novo no país.
M’bana N’tchigna
deniferreira2009@Gmail.com

sábado, 29 de junho de 2013

Afinal eu Doka, a minha vida estava em risco.
Muito antes de eu ter ido a primeira vez a BISSAU..., eu, minha familia e alguns amigos da familia teriam recebido informacoes de alguém que trabalha e faz parte da seguranca do estado guineense.
Mas mesmo assim, ignorei a tudo e a todos...., fui.
Mas, afinal de contas, no meu segundo regresso, houve um ultimato.
E quando tudo falhou...., foi aí que me tentaram baralhar com os militares.
Toda a gente acompanhou esse processo, inclusive houve e recebi o apoio de um grande militar...., EMILIO COSTA.
Adivinhem de onde teriam partido as ordens.
Recordam- se do caso Milocas Pereira???
Amigos, comigo alguma coisa falhou.
Qual a razao, já a seguir.
MEDONHO.

O ÚLTIMO ÁLIBI DA CPLP

 

O Presidente de Transição, Manuel Serifo Nhamadjo, convocou as eleições, afirmando que "As condições estão maduras para a realização de eleições legislativas e presidenciais seguras e protegidas em 24 de Novembro". Não esqueçamos que a CPLP é dirigida pela máfica com rostos de Paulo Portas, George Chicotti e José Maria das Neves, que já estarão a ensaiar a confusão! A campanha de diabolização do Estado guineense que vinham promovendo, desmoronou-se como um castelo de cartas. Agora - sem peões no terreno - resta-lhes o último álibi: uivar no dia 24 de Novembro que o processo eleitoral não decorreu de acordo com os padrões internacionais de igualdade e de liberdade política, etc.….  Aguardamos firmes, à espera do baralho!

 


Abraços!

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Isto aqui  tudo nao corresponde a verdade.
Foi públicada no Ditadura do Concenso.
Leiam:

Quinta-feira, 27 de Junho de 2013

EXCLUSIVO: Botche Candé será o director de campanha de Carlos Gomes Jr., nas próximas eleições presidenciais. AAS

BARACK OBAMA NO PÉRIPLO AFRICANO
Visões opostas sobre o desenvolvimento em África:
Barack Obama“(…) o que nós aprendemos nas últimas décadas é que quando há boa governação – quando temos democracias que funcionam, gestão criteriosa de fundos públicos, transparência e responsabilidade para com os cidadãos que elegem os líderes – isso é bom não só para o estado e o governo em exercício, mas também é bom para o desenvolvimento económico porque dá confiança ao povo, atrai negócios, facilita o comércio”.
José Eduardo dos Santos“salvaguardar a estabilidade política como base indispensável ao desenvolvimento, consagrando o princípio de não reconhecimento de governos instalados por via da violência ou por meios não constitucionais e antidemocráticos”.
Conclusão: enquanto Barack Obama acredita na “boa governação” como condição prévia ao desenvolvimento do nosso continente; alguns líderes africanos, acreditam que a via correta não é a mudança da postura política dos líderes, mas, primeiro de tudo, a ofensiva a “instabilidade política”.

A escolha é livre!

Abraços!

quinta-feira, 27 de junho de 2013

BOMBOLOM: TUK-KLUM, TUK-KULUM, TUK-KULUM…
“Nha ermons”, já chove! Vamos todos pegar os nossos arados, a maré-cheia ameaça partir os diques…  
“Se você falar com um homem numa linguagem que ele compreende, isso entra na cabeça dele. Se você falar com ele em sua própria linguagem, você atinge seu coração.” Mandiba


Abraços!
WE, A CPLP?
VOZ DE AMERICA: Governo de Moçambique envia tropas para combater ameaças da Renamo nas províncias.
Cerca de meio milhar de tropas chegaram na manhã de hoje a cidade da Beira, onde os residentes queixam-se de insegurança que a presença militar está colocar a região.


Será que, assim, dá para entender a noção da estabilidade política da CPLP?
Existe alguma coisa que nao esta batendo certo.
o Triangulo Sory Djaló- Ndinho- Ministro transportes...., alguma coisa nao esta bem nisto.
Mas vamos a ver como isto vai ser, porque já tentei contactar o ministro dos transportes mais de 6 vezes durante o dia de hoje.........., mas infelizmente, nada.
Continuo insistindo.
Porque essa coisa de que Sory Djaló, corrompeu o Ministro dos transportes com um montante de 15 Milhoes de FCFA..........., isso nao dá para acreditar.
Eu Doka estou procurando ouvir as partes envolvidas.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

CPLP, UM PESO, DUAS MEDIDAS


Segundo noticiou, hoje (26 de Junho), Angop, o secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Murade Murargy, anunciou terça-feira que irá em breve à Guiné-Bissau para, com outras organizações internacionais envolvidas na transição política no país, contribuir para a realização de eleições ainda este ano. Completou: “as cinco organizações vão [ao país] para verem o que fazer a seguir, como apoiar a Guiné-Bissau, quais os passos, quais os meios necessários a mobilizar com vista a realizar as eleições este ano ainda". O objetivo não pode ser outro que não seja ingerência nos assuntos internos do meu país. Pergunto ao moçambicano Murade Murargy, qual tem sido o papel da CPLP quanto ao risco de divisão neste preciso momento - entre a Frelimo e a Renamo - do Estado moçambicano? Ah já sei! Estão a tramar no sentido de dar a Afonso Dhlakama o mesmo fim que deram a Jonas Malheiro Savimbi….


Abraços!

FALSAS PARTIDAS

 

A debandada político-ideológica resultante da queda do “Muro de Berlim”, virou “mundo globalizado”. Das ideologias extremadas para uma miscelânea de artigos juntos no mesmo saco. Eis-nos na era da balbúrdia político-ideológica! Por exemplo, nas nossas Africas - como temos vindo a referir - fez-se o transbordo da pseudodemocracia em vez da democracia no verdadeiro sentido do termo. Na nossa terra, vimos lobos usando sumbia sagrada de Cabral fazendo-se passar por lebre, para enfiar o barrete ao povo. As pessoas, em vez de se lutarem pelos ideias políticos, se cotovelam no culto da personalidade aos chefes. Não há alternância política! Os sucessivos governos de partido único ancoraram-se ao “banho” eleitoral para se eternizar no poder. Os seus adversários políticos ganharam o epíteto de antipatrióticos e inimigos a bater. Na economia, os líderes africanos ostenta com agrado a promiscuidade entre os titulares de cargo público e negócios privados e empresariais. Nas ruas, a polícia recebe os descontentes políticos com balas verdadeiras, em vez de jato de água, balas de borracha ou gaz lacrimogéneos, etc, etc.…

 

Por isso, quando Barack Obama fala em “boa governação”, dizendo:      “(…) o que nós aprendemos nas últimas décadas é que quando há boa governação – quando temos democracias que funcionam, gestão criteriosa de fundos públicos, transparência e responsabilidade para com os cidadãos que elegem os líderes – isso é bom não só para o estado e o governo em exercício, mas também é bom para o desenvolvimento económico porque dá confiança ao povo, atrai negócios, facilita o comércio”, nos ouvidos dos líderes africanos, a mensagem entra neste ouvido e sai do outro. O que lhes preocupa mesmo é “salvaguardar a estabilidade política como base indispensável ao desenvolvimento, consagrando o princípio de não reconhecimento de governos instalados por via da violência ou por meios não constitucionais e antidemocráticos”. A prioridade deles é silenciar a ação critica dos cidadãos, apoiados no estribilho da unidade nacional.


Portanto, não deitaremos a toalha ao chão! Se não o fizemos antes não é agora que nos vamos dispersar. A luta é como uma corrida de estafeta.  Cabral soube receber o “bastão” das gerações precedentes. Correu até onde as circunstâncias lhe permitiram percorrer. O mesmo “bastão” passou a geração seguinte. Alguns, em vez de o agarrarem com responsabilidade, optaram pela falsa partida. Mas, como em todos os desportos existem regras, essas pessoas não podiam deixar de ser “desportivamente” desqualificados. A corrida foi interrompida, mas a  “competição” prossegue. Por isso, Ramos-Horta, nas suas BREVES PALAVRAS NA REUNIÃO DO CONSELHO DE MINISTROS E PLENÁRIA DO PARLAMENTO NACIONAL DE TIMOR-LESTE DILI, 2DE JUNHO DE 2013, dizia: "No país de Amílcar Cabral não deveria haver nenhum cidadão sujeito a prisão arbitrária e muito menos a tortura. A Guiné-Bissau de Amílcar deve ser um país modelo de respeito pelos direitos humanos, pela santidade da vida, de tolerância, solidariedade, de inclusão."

 

Apelamos por uma partida correta e definitiva!

 


Abraços!

segunda-feira, 24 de junho de 2013

DURÃO BARROSO A AFRONTAR, DE NOVO,  A FRANÇA
Segundo noticiou o Expresso de hoje, dia 17 de Junho, o presidente da Comissão Europeia numa entrevista ao jornal Internacional "Herald Tribune", a propósito da exceção cultural de alguns países europeus de excluir o sector audiovisual e o cinema das negociações comerciais da União Europeia comos Estados Unidos, disse o português:
- "Isso faz parte do programa contra a globalização, que eu considero como totalmente reacionário", antes de acrescentar que "Alguns dos que defendem a exceção cultural dizem ser de esquerda mas são, de facto, extremamente reacionários".
Ripostou, então, Jean-Christophe Cambadélis, responsável no PS francês pelas questões europeias e internacionais, numa reunião em Paris onde António José Seguro participava:
- "É espantoso e intolerável. Nada autoriza um presidente cooptado pelos seus amigos de direita no poder na Europa a dar lições à França. Nada autoriza o senhor Barroso a julgar uma decisão unânime do Conselho".

Abraços! 
CARO DOKA
Ninguém me encomendou o sermão, mas precisava de desabafar publicamente. Não posso mais com tantas mentiras sobre o meu país, tanta megalomania e grosserias, tao curta visão sobre a Guiné-Bissau, do que o meu povo foi e é capaz de fazer ainda. Tanta subserviência às mãos de uma RDP/RTP-Africa sem valores.

Anonimo
RDP/RTP-AFRICA
“Nha ermons”, o Governo fascista de troco-Passos em Portugal no atoleiro económico está-se a insurgir de novo contra a Guiné-Bissau. Soltou esta manha do dia 17 de Junho os seus cachorros para injuriar o nosso país. Partiram de um relatório plagiado e recortado à moda dos alunos da internet, citando os EUA para intimidar o povo combatente da Guiné-Bissau. Como era de esperar, saiu-lhes um embuste! No ardiloso relatório radiodifundido, a Guiné-Bissau era um país da América Latina que produzia e traficava droga. E quando o dito relatório referia o nosso país na Africa Ocidental, ampliava-lhe a superfície. Em vez dos 136. 125 km2 passava para um único país na costa Atlântica que englobava cerca de cinquenta países e Estados independentes. Passos e Portas ainda sonham com a Guiné do século XV.   
As injúrias da RDP/RTP-Africa sobre o narcotráfico na Guiné-Bissau serão discutidas no TPI!

Abraços!

Ola amigo Doka

 

Sobre o “Debate Africano” na RDP-África

 

De certeza já escutaram os famosos comentários do senhor Eduardo Fernandes, antigo diretor-geral da empresa estatal SOCOTRAM, dos tempos da outra senhora (Luís Cabral). O dito-cujo, em tempos, foi bem “caraterizado” por António Aly Silva (22 de Novembro de 2011): “Alice no País das Maravilhas”. É sentinela, boca de aluguer e faz parte da claque do desterrado regime de Nhu Cadogo Júnior. Tal como nunca fala em esquemas que fazia de “sobrecarregamento nos navios que zarpavam com a nossa madeira, para as ilhas Canárias”, ou do whisky que, carinhosamente, o seu amigo Buscardine lhe serviu na polícia, da mesma forma vai driblando as recentes e equilibradas declarações de Ramos-Horta sobre a situação política atual na nossa terra. E para não perder o cachê, fica batendo no ceguinho… Nós respeitamos os mais velhos senhor, retrate-se, por favor!

 


Abraços!

Caro irmão Doka

Bem sei que às vezes ironizo, o que pode deixar as pessoas confundidas. No entanto, neste caso, não estava a fazer troça.

Achas realmente má ideia? A mim parece-me plausível. E pareceu-me que a tropa poderia aceitar (porque não ter mais gente em quem mandar?).... além disso, seria uma forma de ter toda a gente em armas, no caso de alguma ameaça grave à soberania nacional. O caso do financiamento, não seria preciso muito dinheiro: a quantia a pagar aos circunscritos seria mínima (transformar-se-ia numa questão logística, de alojar e alimentar os miúdos...).

Em suma, se o Ramos Horta se sair com essa, convinha que se encenasse alguma resistência até garantir financiamento excedentário (inclusive em material militar, fardamento, munições para instrução, etc), fazer render o peixe, mas aceitar. Os mais velhos das FA, reminiscências da gloriosa luta de libertação nacional, teriam a seu cargo mais do que a instrução militar: a educação patriótica dos jovens, e poderiam revezar-se em cursos, histórias e experiências enriquecedoras para os mais novos.

Retomando a bonita expressão do Julião Soares, poderia resultar num magnífico «caldeamento cultural». Para os(as) jovens poderia ser quase uma «festa», que duraria pouco para não afectar as suas expectativas quanto ao futuro.

Sabes que conto bastante com a tua opinião: julgas que é má ideia? Porquê? Será de abandonar? Olha que a ideia foi minha, não foi do Ramos Horta, nem sei se ele a papará... Fico à espera da tua opinião.

Abraço fraterno

domingo, 23 de junho de 2013

EQUILIBRIO ETNICO TRIBALISTA
Ramos-Horta pretende, pela ONU, protagonizar a reforma nas forças armadas guineense. A iniciativa é louvável, muito embora saibamos de que ainda não colocou nenhuma carta encima da mesa. Quando esse momento chegar estaremos cá para o ajudar na implementação racional da sua ideia. Apenas desaconselhamos a visão tribalista, seja de que tipo de reforma fosse num contexto social iminentemente africano. O serviço militar obrigatório de pelo menos seis meses – troçou alguém - como objetivo de promover o equilíbrio étnico, carece de muitos ingredientes. A começar pelo emprego ou satisfação das aspirações dos jovens. A deserção verificada na década de oitenta e noventa nas forças armadas estavam relacionadas com o quê, concretamente? Aqui, os preconceitos não poderão servir de instrumento de trabalho. Só quem não quis ver é que não sabia que estavam intimamente relacionadas com falta de perspetiva de vida dos jovens, com a baixa qualidade do ensino, quase nula assistência médica da população em geral, etc. Portanto, o problema, não é étnico, mas sim da funcionalidade do Estado e não da república das bananas. Muita atenção!

Abraços!
Iodééeéé...., Sakur, Cadogistassss..., Ali kampu kinti dja ku Cadogo jr. na Portugal.  E agora?   Quem vai ladrar ou Guinchar?   Já vao duas vezes na Policia Júdiciaria Portuguesa.
No início do mês de Maio passado, a revista Sábado noticiava que o empresário angolano Domingos Manuel Inglês fez uma transferência de 1,950 milhões de dólares (cerca de 1,5 milhões de euros) para uma conta bancária de que é titular Carlos Gomes Júnior, o ex-primeiro-ministro da Guiné-Bissau que vive em Portugal. A Polícia Judiciária e o Ministério Público queriam saber porquê. I n’tola té na garganti!
Não me perguntem o dia, nem a hora em que isso aconteceu, mas quando a polícia apareceu em sua casa em Alcântara/Lisboa, apresentando-lhe citação contra a sua pessoa, o dito-cujo pulou do cadeirão e disse:
- Eu sou o Primeiro-ministro legítimo, não respondo a nada!
- Meu caro senhor – respondeu a polícia – é Vossa Excelência o senhor Carlos Gomes Júnior?
- Sim, senhor, sou eu, o Primeiro-ministro!
- Senhor Carlos Gomes júnior, nós somos da polícia e trazemos uma citação para o senhor assinar. Se não assina terá que acompanhar-nos. Não temos nada a ver com assuntos de política. Assina ou vem connosco!
O dito-cujo teve de largar o alibi de Primeiro-ministro para responder ao Ministério Público, já por duas vezes!

Abraços!
Fernando Casimiro (Didinho)Os guineenses estão, cada vez mais, convencidos de que o Dr. Ramos-Horta (também) quer, de facto, o melhor para a Guiné-Bissau e para os guineenses, tal como quer o melhor para Timor e para os timorenses! O país, parece, de facto, rendido ao ilustre "filho" que pode, fazer chegar as vozes guineenses às mais altas instâncias mundiais, facto que outros guineenses, bem posicionados, não demonstram sensibilidade em fazer, para ajudarem o país que também é deles e o povo ao qual também pertencem...
Podemos discordar, já discordamos e discordaremos, certamente, mais vezes, de posicionamentos do Dr. Ramos-Horta, mas nunca o "deitamos abaixo", pois sempre soubemos que pode ser muito útil à Guiné-Bissau e aos guineenses, desde que, comprometido com a sua Missão Internacional e na vivência da sua paixão pela Guiné-Bissau e pelos guineenses! Didinho 22.06.2013

sábado, 22 de junho de 2013

Arnaldo Djú deixou um novo comentário na sua mensagem "Domingos Simões Pereira…, afinal de contas quem é ...": 
Ora viva nha ermon Doka.
Se poderes respondes me as seguintes perguntas:
1- Porque de tanto ódio ao nosso irmão Domingos Simões Pereira?
2- Porque de tantas calunias?
3- Será que não estas enganado acerca dessa candidatura que tu apelidas de ENCOMENDA por senhor Carlos Júnior? Não me lembro de ouvir/ler algo parecido,mas sim lembro me e bem de ouvir/ler um artigo do teu candidato Braima Camara a dizer que nunca seria adversário de senhor CADOGO,se este candidatasse. 
Então nesta lógica respondes me o que percebes de ENCOMENDA? 
4- Nha ermon Doka tens todo o direito de apoiar de quem tu quiseres,mas não tens o direito de caluniar/difamar os adversários,não esqueças uma coisa podes/deves ser processado pelos teus actos.Porque é um crime.
5- Nha ermon Doka acho que devias concentrar as tuas energias em apoiar o teu candidato em vez de preocupar com o nosso irmão Domingos Simões Pereira,que eu Arnaldo Djú acho que é um candidato com perfil ideal para governar a nossa Guiné-Bissau nessa conjuntura politica,económica,social e cultural,porque Domingos Simões Pereira é uma pessoa com credencial tanto a nível interno como externo. 
6- Vamos parar com essas politicas de baixo nível que sempre existiu na nossa praça Bissau-Guineense. Não sou advogado de Engº Domingos Simões Pereira e nem pretendo se-lo. Mas sobre a tal secretaria que ele engravidou,eu pessoalmente sou contra a essa pratica,porque não devemos aproveitar das fragilidades das MULHERES nestas situações,mas uma coisa é certa essa pratica é recorrente e não só na Guiné-Bissau,mas nos países mais democráticos do mundo.Quem não lembra do famoso caso do antigo presidente dos EUA Bil Clinton que teve caso com a sua empregada? 
7- Nha ermon Doka quer queira ou não o Engº Domingos Simões Pereira é o homem ideal para a Guiné-Bissau e será o próximo presidente do PAIGC e consequentemente o nosso futuro primeiro ministro.

VIVA A GUINÉ-BISSAU
VIVA OS GUINEENSES
VIVA A UNIÃO DE TODOS OS GUINEENSES
ABAIXO OS CALUNIADORES 
ABAIXO GOLPISTAS

BEM HAJA 
NHA MANTENHAS 
KANKURAM DI MANSABÁ
Kankuram é uma figura mítica ancestral que os humanos encarnam nas alturas dos rituais de circuncisão masculina da etnia Manginga da Guiné. A figura é trajada, corpo inteiro com fibras e colmos vegetais longas e interlaçadas de cor roxa. É uma espécie de espantalho, assegurando catanas na mão. Tem a capacidade mítica de voar, escalar paredes e de trepar pelos telhados das casas, assim como o Spider-Man (homem-aranha). O seu aparecimento nas aldeias provocava sempre pânico e temor nas crianças e nas mulheres.
Numa noite de lua cheia, uma enorme turba era arrastada por um kankuram em direção a uma aldeia em Mansabá. O pânico chegou a morança. O kankuram bradava: nhiiiiiii, a turba respondia em harmonia tonal:tchor-mamaaah! Cada vez que gritasse nhiiiiiii, respondiam em coro: tchor-mamaaah! Era do tipo o solista canta os versos o coro canta o refrão. Isso durou algum tempo até que o estafermo resolveu cometer o atrevimento de pular para cima do telhado de uma casa, bradando para os seus seguidores e batendo metalicamente as catanas, uma sobre a outra. Mas, o tempo passava o bicho não descia do telhado. Olhou para o chão e viu o perigo de morte. Não podia arriscar! O tom dos gritos mudou-se. Começou a pedir a escada para descer. Mas em vez de dizer com nitidez a palavra escada, dizia “skid” e a turba continuava responder tchor-mamaaah. De repente grita: ei vocês ai, filhos da… estou a dizer-vos escada e vocês continuaram a responder merdices, hen?

Moral da história: o embusteiro mesmo em situação de dificuldades ainda consegue ser mais estúpido!


Abraços!

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Domingos Simões Pereira…, afinal de contas quem é este homem…, a quem é que ele afinal esta representando???  O que foi que Domingo S. Pereira fez pela Guiné Bissau e pelos guineenses quando estes mais precisavam dele???
A ver!!!

Quando se deu o golpe de estado que cúlminou com o derrube de Cadogo jr. e com toda a sua equipa criminósa e nojenta…, alguém será capaz de me dizer uma iniciativa correcta e positiva vindo por parte deste sernhor???  DÚVIDO.

Caso Domingos S. Pereira fosse um homem decente, de character firme e de uma postura sensata, teria sido ele a resgatar ao Cadogo jr. e ao Raimundo Pereira nas mãos dos militares guineenses e não a CEDEAO.
Aqui lhe faltou a capacidade patriótica.

Domingos S. Pereira, antes de ter sido o Secretário Executivo da CPLP, acima de tudo era e ainda é um Guineense.  A sua pior falha..., aonde perdeu toda a credibilidade foi no desprezo que demonstrou ao seu povo guineense quando este o mais chamava e mais precisava dele.   Aqui, não vale a pena tentar mostrar algo que todos aqueles que seguem os acontecimentos da nossa terra, possam dizer que não viram ou que não se deram de conta da actitude deste homem.
A frieza e a maldade ao abandonar aos guineenses.

Um homem que algumas pessoas da sua equipa, que a favor dele escrevem, procuram e tentam mostrar algo que não existe.  A VERDADE.
Este homem que tentam dizer, que é um homem  exemplar em termos de familia, e que só tem e vive para uma esposa………..! Verdade isso???

Ora bem, quem foi que arranjou uma secretária, e que posteriormente a engravidou?
Quem foi que na base de mentira e obsessão sexual, conseguiu trazer uma rapariga guineense, que ainda é estudante em CHINA, acerca de 2 anos atrás  apróximadamente, para dentro da sua casa em Portugal, aonde vive com essa sua esposa e restantes familiares.   
Chamamos a isso decencia???  Chamamos isso de exemplo???  Quem é essa rapariga???  Existe ou não? A secrtária também não existe???  Ou estou louco de novo???

Que exemplo positivo podemos ter deste homem, sabendo que ele e sua mulher desviaram milhões e milhões de francos cfa dos cofres do estado guineense, que roubaram dinheiro dos trabalhadores guineenses.   Será que ele não participou desta robalhada???   MA ANTA SI MINDJER, I SI KÉ???  I KA SI KUMPANHERU??? KANTU TEMPU KÉ STA DJUNTU???
Entenderam a pergunta???

Como se não bastasse, Domingos S. Pereira, trata aos guineenses de burro e de patetas.  
Um agente encomendado por Cadogo jr. e pela sua equipa…, uma pessoa que apenas esta óbcecado com os seus interesses pessoais e não com os interesses do povo…., é esse o homem que hoje se quer candidatar a liderança de um partido tão grande e de um nome que arrebentou barreiras a nivél internacional EM TERMOS HISTÓRICOS???   PAIGC.
O que é que este homem sabe ou conhece da realidade da nossa terra???

CUIDADO COM AQUELES QUE VEEM E SE APRÓXIMAM DE TI…, CUIDADO COM AQUELES QUE VEEM COBERTOS DE E COM PÊLE DE CORDEIRO. POIS, ESTES SÃO PIORES QUE OS LOBOS DEVORADÕRES.

Assim é o Domingos S. Pereira.
Falso, cinico, mentiroso como o agente que lhe agenciou, um dissimulado e ao mesmo tempo um LAGARTO.

Os guineenses neste momento precisam de alguém com alternativas e de alternativas.

Pensem.
Em poucos minutos o descasque ao Domingos Simoes Pereira.
O homem que de uma forma ou de outra esta procurando enganar aos guineenses.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Obama visita África
Segundo noticiou a VOZ de América, o presidente americano Barack Obama estará de volta, pela segunda vez, desde 2009, a África na próxima semana. Visitará o Senegal, África do Sul e Tanzânia. O objetivo é reafirmar o seu apoio as democracias africanas e ao progresso económico, e falará acerca da importância dos direitos humanos.

Quando o Obama adverte aos africanos para seguirem o caminho da “boa governação, dizendo que “O desenvolvimento depende da boa governação…É o ingrediente que está a faltar até então em muitos lugares, para se avançar. É essa mudança que pode desbloquear o potencial de Africa.”, os lideres africanos, respondem ao contrário e com outra verborreia, falando em “conflitos”, como justifica o Presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, numa conferencia da União Africana/UNESCO em Luanda,  dizendo que  “o continente africano tem tanta necessidade de paz como de pão para alimentar os seus filhos. Não podemos satisfazer a necessidade de todos se a guerra prevalecer. Já por diversas vezes afirmámos que sem paz o desenvolvimento não é possível.”

Em que é que ficamos, então: é o ovo ou a galinha, que nasceu primeiro? Obama diz é a “boa governação” que traz a tranquilidade e a paz; José Eduardo dos Santos diz não, é a paz que traz a tranquilidade e o desenvolvimento, ou seja, combater os “conflitos”. Guerrear os “conflitos” em África para que se possa dar pão para alimentar os nossos filhos. Para mim, o caminho mais curto para se ter tranquilidade e paz, não é o da guerra, mas sim o indicado por Obama: a “boa governação”! Alias, o exemplo começa no chefe da família! Pois, a “boa governação” pressupõe boa gestão da “coisa pública”, o que implica uma democracia saudável e não o de esmagamento do adversário, e de realização transparente das eleições. O fenómeno “banho”, por exemplo, é a consequência direta do autocratismo atado com laços coloridos da democracia. Quando os líderes africanos comentam, como diz o angolano: “salvaguardar a estabilidade política como base indispensável ao desenvolvimento, consagrando o princípio de não reconhecimento de governos instalados por via da violência ou por meios não constitucionais e antidemocráticos”, a afirmação suscita a seguinte pergunta básica: a de se saber como lidar com os governos instalados por via do “banho eleitoral”? A conclusão que chegamos é de que a sua permanência no poder é justificada pela lógica da paz, isto é, fazer a guerra para se chegar a paz!

Atenção, os lobos ainda uivam na terra e assustam as nossas crianças!
Abraços!


http://www.rtp.pt/play/p389/e120983/entrevista-rdp-africa

Escutem o que foi dito por Ramos Horta.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

PIRUETA DE RAMOS-HORTA
Manganaça si I ka uliulidu I ka ta padi
Continuamos a encarar a CPLP como uma comunidade de violino e não de kalashnikov. Enfim, como qualquer comunidade da natureza linguística. Não poderá ser confundida com comunidades territoriais e políticas, regionais e sub-regionais, existentes. Para a União Europeia, a CPLP não é tida nem achada! É neste ângulo que tem que ser vista tanto pela CEDEAO como para a União Africana, a Mercosul, a SADC, etc.. A própria CPLP se tem encarregado de branqueado o fato de certas realidades políticas, como, por exemplo, Angola e Moçambique, constituírem verdadeiros duelos fraturantes pendentes. Nunca se posicionam em relação as disputas atuais, nem em Angola e muito menos e Moçambique. Apenas se excitam no caso da Guiné-Bissau.  Porquê?

A ligação entre os povos falantes da língua de Camões, não passa de um componente histórico como qualquer um que compõe o cardápio. O fato faz parte dos percursos das sociedades humanas. O ingrediente quando entra na panela perde a sua essência. É assim que as coisas acontecem! Não há aqui proeminências de um elemento sobre os outros. Recordamos que Portugal há mais de oito séculos, terá recusado a posição de “quinta” ao Rei de Castela. A Guiné-Bissau também tem o direito e o dever sagrado de se posicionar da mesma forma face a qualquer espécie de subjugação do seu povo. Lá porque a com a queda do “Muro de Berlim” se deu a debandada total e corrida ao ouro, nós não dispersamos. O objetivo é servir o povo nobre que Cabral idealizou.

Segundo noticiou a Lusa, os presidentes dos Parlamentos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) reúniram-se na terça-feira (dia 18 de Junho) em Lisboa para discutir o reforço da "dimensão parlamentar" da comunidade lusófona e posicionar-se em relação à situação política da Guiné-Bissau. A sessão da parte da tarde de ontem contou com a participação de Ramos-Horta, que segundo consta da sua entrevista ao jornal diário, “O Público”, de hoje, dia 19 de Junho, resolveu dar cambalhota às suas posições iniciais, acusando a dita comunidade internacional sobre a situação da Guiné-Bissau. Dá para acreditar num indivíduo que há menos de um mês, lançava - ele próprio - ameaças ao Estado da Guiné-Bissau? Eu nunca acreditei nos cata-ventos! Por outro lado, é preciso dizer - preto no branco - que a tal comunidade que Ramos-Horta acusa, tem rosto: Paulo Portas! Quem não se recorda das romarias que se fizeram a Nova Iorque, ao Conselho de Segurança das Nações Unidas? Sempre na fanfarrada defesa do governo do “banho eleitoral” derrubado no contragolpe de 12 de Abril de 2012. O dito-cujo pensava que dai pudesse retirar algum dividendo neocolonialista.

Sobre reunião dos parlamentares da língua portuguesa, saber-se-á porque se tomou a decisão de visitar a Guiné-Bissau nas vésperas das eleições e não depois do escrutínio. Sabemos que nessa reunião não participou nenhum ministro “golpista” na aceção de Porta, mas a nossa representação em Lisboa foi convidada a assistir a reunião. Na nossa opinião, seja qual for o figurino que venha a nascer nestes clubes de “um peso e duas medidas”, não mudará a nossa visão em relação às inconfessáveis tentações hegemónicas e salazaristas da CPLP.
 Lutemos para que os lobos não voltem a uivar  nem a assustar as crianças na pátria de Cabral!
Abraços!